sábado, 28 de fevereiro de 2015

No futebol não se inventa

                    Jerôme Valcke secretário geral da Fifa participou da 129º reunião do Board (foto/Fifa)
O inglês Stanley Rouss, o sexto presidente da Fifa quando questionado em 1970, o porquê de as Regras de Futebol não sofrerem mudanças significativas respondeu: "no futebol não se inventa". Foi assim que entendi o desfecho da 129º Reunião geral Anual da (IFAB) International Football Board realizada neste sábado (28), nas circunvizinhanças de Belfast (Irlanda do Norte).

A chamada punição tripla que prevê atualmente que o jogador que impedir uma oportunidade clara de gol seja punido com cartão vermelho, e se a infração for dentro da área penal (pênalti), fora da grande área tiro livre direto e a suspensão automática no próximo compromisso ao atleta que praticar este tipo de infração foi mantida. Ou seja, a flexibilização (o não cumprimento da suspensão automática do jogador que impede uma chance clarividente de gol) - no próximo confronto que sua equipe irá participar, como queria a Uefa não aconteceu.

O Board definiu que uma comissão de estudos jurídicos será responsável em analisar a proposta em tela e, posteriormente, encaminhará no mês de março deste ano os resultados da análise ao Comitê Executivo da Fifa, que deverá apresentar uma definição em relação a suspensão ou não do jogador. [Portanto, a punição tripla está mantida até que a Fifa mude a sua decisão - foi o que disse Patrick Nelson, diretor executivo da Federação Irlandesa de Futebol na coletiva à imprensa, que está à direita de Jerôme Valcke].

O afastamento temporário de um atleta que está em vias de ser expulso num prelio e está em testes nas categorias de base da Escócia (receberia um cartão branco ou laranja e ficaria de cinco a dez minutos no banco de reservas) – também foi rejeitado e continuará sendo testado.

A quarta substituição que era dada como favas contadas, foi recusada porque o (IFAB) entende que três substituições são suficientes num jogo de futebol. A quarta substituição poderá ocorrer durante a prorrogação, mas antes de uma decisão, o Board quer um relatório conclusivo dos painéis consultivos das Fifa.

Já a utilização de vídeos para auxiliar a arbitragem em lances que fujam do campo visual dos homens de preto, o (IFAB) rejeitou por ora e decidiu continuar realizando debates e experimentos sobre o tema. Outras propostas foram ignoradas como a alteração da ( Regra 11 – Impedimento e da Regra 12- Faltas e incorreções - mão na bola e bola na mão).

Quanto a implementação de chip nos atletas para medir o deslocamento, esforço físico, temperatura corporal,  quilometragem percorrida no campo de jogo, o Board autorizou desde que nenhuma pessoa postada na área técnica tenha acesso aos dados durante o transcorrer da partida. Aqui neste item foi decidido que a Fifa irá implantar um programa de qualidade  a fim de monitorar e regularizar seu uso. 
  
PS: A síntese do que aconteceu na reunião do (IFAB) no sábado, foi antecipado pelo presidente da Fifa Joseph Blatter no semanário da instituição The Fifa Weekly,  publicado na sexta-feira (27). Blatter afirmou que o Board foi criado para estudar, preservar, supervisionar e eventualmente modificar as Regras de Futebol. Na mesma revista, Blatter afirmou que as leis que regem o futebol dentro das quatro linhas, exigem do árbitro e dos assistentes inteligência e sutileza na interpretação e, sobretudo, na sua aplicação. Ficou definido que a 130ª Reunião Geral Anual do Board será efetivada em Cardiff (País de Gales), no período de 4 a 6 de março de 2016.

PS(2): Considerado o melhor árbitro do futebol Sul-americano na atualidade, Sandro Meira Ricci (Fifa/SC), vai comandar a segunda partida na Taça Libertadores da América este ano. Ricci apita River Plate (Argentina) x Tigres (México), na quinta-feira (5), no Monumental de Nunes em Buenos Aires. Os assistentes Fabio Pereira e Bruno Boschilia completam o trio brasileiro. 
 

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Trempe brasileira no curso da Uefa

    Pierluigi Collina diretor de arbitragem da Uefa comandará o seminário em Nyon

Após a Copa do Mundo de 2014 no Brasil, o diretor de departamento de arbitragem da Fifa  Massimo Busacca, sugeriu aos dirigentes da Conmebol, a celebração de um intercâmbio entre a entidade Sul-Americana e a Uefa no setor da arbitragem. A sugestão foi no sentido da troca de informações e participação de árbitros e assistentes do Velho Continente em conjunto com os apitos da América do Sul, nos diferentes cursos de capacitação continuada ao longo da temporada que as duas entidades irão realizar. 

Após ser analisada por próceres da arbitragem da Conmebol,  a ideia foi levada ao novo presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol, Dr. Juan Ángel Napout, que de imediato acatou a sugestão e celebrou o intercâmbio com a Uefa.

O primeiro homem de preto indicado pela Conmebol para participar do aludido intercâmbio, foi Enrique Osses (Fifa/Chile). Osses chamou a atenção dos europeus, após a excelente performance no Mundial de Clubes da Fifa no Marrocos, em dezembro do ano passado.

O evento denominado de Curso de Excelência de Arbitragem de inverno, foi realizado em Atenas na (Grécia), no período de 1º a 5 de fevereiro deste mês. No retorno ao Chile com autorização da Conembol, entrevistamos Enrique Osses sobre a sua estada no curso em tela e colhemos suas observações e opiniões sobre o seminário que podem ser lidas nos sites: http://www.parana-online.com.br/colunistas/ - www.apitodobicudo.blogspot.com.br.

Na quarta-feira (25), dando prosseguimento ao intercâmbio firmado no final do ano passado, a CBF anunciou que o árbitro Wagner Reway (Asp//Fifa/MT) e os assistentes Eduardo Cruz da Federação de Futebol do Mato Grosso do Sul e Danilo Manis da Federação Paulista de Futebol, foram convocados para o Curso de Excelência da Uefa que será realizado em Nyon (Suíça), no próximo mês de março.

Reway, Manis e Cruz foram escolhidos pela CBF para o seminário da Uefa, porque atendem ao conjunto de exigências da Fifa, ou seja: tem disponibilidade de tempo, estão dentro da idade exigida pela Fifa, tem estatura física, ética profissional, e, sobretudo, falam, escrevem e leem fluentemente o idioma oficial da entidade que controla o futebol no planeta, que é o inglês.

PS: O intercâmbio na nossa opinião vai oxigenar, mudar o conceito e melhorar sobremaneira as tomadas de decisões do árbitro que labora nas competições da América do Sul.

Conmebol/Fifa: começou curso para árbitros e assistentes

      Dirigentes da Conmebol e da Fifa participam de curso preparatório para o Sub-17 da entidade Sul-americana

A (Conmebol) Confederação Sul-Americana de Futebol com o patrocínio do (RAP) Programa de Assistência à Arbitragem da FIFA, abriu o Curso para Árbitros e Árbitros Assistentes antes do Campeonato Sul-Americano Sub-17, que será efetivado no período de 4 a 29 de março no Paraguai.

O ato, que se realizou no Salão Auditorium da Casa do Futebol Sul-Americano, contou com a presença do presidente da Conmebol,  Juan Ángel Napout e dos seguintes dirigentes da arbitragem mundial: Manuel Navarro, Deputy Head Fifa Refereeing, Dr. Carlos Alarcón, Presidente da Comissão de Árbitros da CSF e Membro da Comissão de Árbitros da Fifa, Jorge Romo, Membro da Comissão de Árbitros da Fifa, Oscar Julián Ruíz do Programa de Assistência à Arbitragem da Fifa e Membro da Comissão de Árbitros da Conmebol e da Fifa, Ricardo Casas, Instrutor Técnico da Fifa,  bem como o Instrutor em Preparação Física Cristian Rosen, do Programa de Assistência à Arbitragem da Fida e do Gerente Geral da Confederação Gorka Villar.
Além das personalidades mencionadas, participam também, o Secretário Executivo da instituição, Francisco Figueredo e o Diretor de Comunicações da Conmebol Néstor Benítez. 

O Dr. Carlos Alarcón disse que “aqui começa um caminho que esperamos que seja feliz e exitoso”, dirigindo-se aos árbitros e assistentes mais jovens, que participarão do Sul-Americano Sub-17.

Já Manuel Navarro fez chegar as saudações do Presidente da Fifa, Joseph Blatter, bem como de Massimo Busacca, chefe do Departamento de Arbitragem da entidade matriz do futebol mundial -  e felicitou o presidente Napout pela decisão de enviar três árbitros de cada país membro da Conmebol - para o torneio Sub-17 a realizar-se no Paraguai.

Por sua parte, o presidente Napout manifestou que seu sonho é ver duas seleções Sul-americanas na final do Mundial da Rússia em 2018 – porém, se isso não acontecer, seu segundo sonho seria que uma equipe de arbitragem Sul-americana dirigisse essa grande final. O presidente também qualificou como um “nível excepcional os jogos finais do Sul-Americano Sub-20 - realizado nos meses de janeiro e fevereiro, no Uruguai em 2015”.  Para concluir, desejou um ótimo trabalho a todos e sustentou que “eles têm o apoio total e absoluto de quem lhes fala”.

O Curso finalizará em 01 de março, com a participação de 30 árbitros e assistentes de jogos, dos dez países membros da Conmebol. Vários temas regulamentares e técnicos serão esclarecidos, além da realização de práticas de campo e provas físicas.

A Conmebol e o Departamento de Arbitragem da Fifa trabalham continuamente em prol do fortalecimento da arbitragem, para o melhoramento do futebol. O Sul-Americano Sub-17, classificará quatro equipes para o Mundial da categoria, no Chile que acontecerá de 17 de outubro a 8 de novembro deste ano.
 
PS: O triunvirato brasileiro composto pelo árbitro, Wilton Pereira Sampaio (Fifa/GO) e os assistentes Cleriston Clay Barreto e Fabricio Vilarinho, foram designados pela Conmebol para atuarem no torneio em tela.
Fonte: Conmebol
  

(IFAB) analisará a 4º substituição

    O brasileiro Manoel Serapião Filho (foto), o primeiro da esquerda para à direita esteve recentemente em Belfast - representando a CBF/CONMEBOL em encontro da IFAB

Liderados por Michel Platini presidente da Uefa, um grupo de atletas, patrocinadores e dirigentes dos principais clubes do futebol europeu, encaminharam algumas propostas ao (IFAB) International Board, visando alterar as Regras de Futebol. As proposições serão discutidas na 129ª reunião da instituição, que acontecerá no próximo sábado (28), em Belfast (Irlanda do Norte).

A Uefa deseja que a Fifa e o Board flexibilizem a punição tripla. Hoje, quando um atleta impede ou acaba com uma oportunidade manifesta de gol num jogo, o infrator é punido com cartão vermelho - se for dentro da área penal, marca-se penalidade máxima, e se a falta aconteceu fora da área penal é tiro livre direto, e o jogador que cometeu a infração fica suspenso do próximo confronto. 

Ao invés do que você leu no parágrafo acima os europeus querem: que o atleta que impedir ou acabar com uma oportunidade clarividente de gol seja: punido com tiro livre se a falta foi fora dos limites da área penal. Se aconteceu dentro da área de pênalti (grande área) – assinala-se o tiro penal, porém, o infrator será advertido com cartão amarelo.

Caso o (IFAB) não concorde com a proposta em tela do Velho Continente, Platini propõe que a ideia seja implementada em caráter experimental em algumas competições da Uefa.

Acho difícil o Board e, por extensão, a Fifa amenizarem a punição tripla, dada duas frases peremptórias da entidade internacional: a primeira fala que: “O gol é a essência do futebol”. A segunda diz: “o atleta que impede ou acaba com uma oportunidade clara de gol, deve ser punido com cartão vermelho, porque subtrai do torcedor e do atacante o direito de desfrutar o perfume do futebol”. 

Outra proposição que será apreciada pelo (IFAB) é a de alterar de três para quatro as substituições numa partida. Neste caso já há entendimento pela alteração. Falta definir se a quarta substituição será realizada durante o transcorrer do jogo ou como querem alguns, somente em confrontos que tenham prorrogação.

Também será discutido o afastamento temporário de um atleta num prélio de futebol. Por sugestão de Michel Platini e Pierluigi Collina, o árbitro aplicaria o cartão branco ou laranja ao jogador, quando observar que ele está na eminência de ser expulso.

Posteriormente, mais calmo, retornaria ao jogo. Falta definir o tempo que o profissional ficaria temporariamente no banco de reservas, cinco ou dez minutos. O afastamento temporário de um jogador, está sendo testado nas categorias de base da Escócia, que em conjunto com a Inglaterra, País de Gales, Irlanda do Norte e a Fifa, compõe a (IFAB).

Além do exposto, a introdução de "chip" no uniforme dos atletas visando monitorar os seus movimentos e velocidade dentro do campo de jogo e a utilização de vídeo como ferramenta auxiliar à arbitragem.

PS: Na nossa opinião, a proposição que deve receber sinal verde do International Board é a  quarta substituição. Os demais temas deverão sofrer várias experiências e no futuro voltarão ao debate da Fifa e do (IFAB).