segunda-feira, 30 de junho de 2014

Raio-X da arbitragem

   

Atuações de Sandro Meira Ricci, são elogiadas pelo Comitê de Arbitragem da Fifa

Massimo Busacca (foto, abaixo), o chefe do departamento de arbitragem da Fifa, não tem por hábito elogiar em público o desempenho da arbitragem. Busacca, é extremamente discreto, mas, um interlocutor que é amigo deste colunista e está próximo dos membros do Comitê de Arbitragem da entidade que controla o futebol no planeta me garantiu: Assim que terminou a prorrogação do jogo Alemanha 2 x 0 Argélia, pelas oitavas de final da Copa do Mundo, no Beira-Rio, observou na expressão facial do homem forte do apito da instituição internacional, um largo sorriso que detonava a sua satisfação, pelo ótimo desempenho do  árbitro Sandro Meira Ricci (foto/Fifa/Brasil) e dos assistentes, Emerson Carvalho e Marcelo Van Gasse, pela discrição e a eficiência nas tomadas de decisões na referida partida.

Ricci fez valer o espírito das Regras de Futebol, interpretando-as e aplicando-as com inteligência. Valorizou a aplicação dos cartões, mas não titubeou quando foi necessário a sua aplicação para manter a disciplina do prélio que dirigiu.
Tomou as rédeas de Alemanha x Argélia do primeiro ao último segundo, exibindo um estilo de arbitragem sóbrio, enérgico quando necessário, mas, sem arbitrariedade. E, por consequência, exibiu ao mundo do futebol, que ali estava um árbitro comprometido com as Regras de Futebol na sua plenitude.
PS: Com a belíssima exibição na partida de hoje, entre Alemanha x Argélia, a trempe brasileira que está laborando na Copa do Mundo, e é formada por Sandro Meira Ricci, Emerson Carvalho e Marcelo Van Gasse, no mínimo irão dirigir mais uma partida neste Mundial.
 


sábado, 28 de junho de 2014

Raio-X da arbitragem

     Segundo Blatter, o Spray é uma ótima ferramenta para o árbitro posicionar a barreira

Arbitragem perfeita
Foi excelente a performance do árbitro, Howard Webb (Fifa/Inglaterra) e de seus assistentes Mike Mullarkey e Dareen Cann, na primeira partida das oitavas de final da Copa do Mundo, envolvendo Brasil 0 x 0 Chile. Durante o tempo normal, na prorrogação e na cobrança de tiros livres desde o ponto penal, Webb e seus auxiliares, desenvolveram assim que a bola rolou, um estilo de arbitragem profissional como quer a Fifa, isenta, sem “jeitinhos” e sem a “malandragem”, que impera em várias situações no futebol brasileiro.

Perfulgente Ricci(1)
Após o belíssimo trabalho desenvolvido nos dois jogos iniciais deste Mundial, o trio de arbitragem brasileiro composto pelo árbitro Sandro Meira Ricci (foto) e os árbitros assistentes Emerson Carvalho e Marcelo Van Gasse, foram escalados para o prélio da próxima segunda-feira, entre Alemanha x Argélia, no Beira-Rio.
Perfulgente Ricci (2)
Lembro que o indigitado árbitro e seus auxiliares só conseguiram atingir o estrelato perante o Comitê de Arbitragem da Fifa, porque quando escalados nas Eliminatórias da América do Sul, e, no Mundial de Clubes realizado no Marrocos, adotaram um estilo de dirigir os prélios de futebol, totalmente oposto ao que se pratica nas competições efetivadas no Brasil.

Spray e (TGL) aprovados
Pela primeira vez a Fifa está usando em uma Copa do Mundo, o Spray de sinalização de barreiras e a tecnologia na linha do gol (TGL). De acordo com o presidente da entidade Joseph Blatter, ambas as inovações tiveram ótima aceitação dos atletas e, sobretudo, dos homens de preto. Para Blatter, as duas ferramentas são indispensáveis no auxílio ao árbitro no campo de jogo.

Fórmula do Spray
O Spray que está sendo usado pela arbitragem neste Mundial, consiste em 20% de gás butano, 1% de tensioativos e aproximadamente 2% de outras substâncias. O resto é água. Quando a substância é aplicada no gramado, o butano se expande e libera uma espuma. Assim que as bolhas da espuma explodem, evapora a marcação. O tempo em que a linha fica visível vai de 30 segundos a 2 dois minutos. Após este prazo, não fica nenhum resquício no gramado que seja danoso, pois a espuma é biodegradável. Cada lata de Spray contém 147 mililitros.

A tecnologia da linha do gol é fantástica
Após o choque entre Brasil x Chile, no Mineirão, o mandatário da Fifa, questionado sobre a provável implementação de novas tecnologias no auxílio ao trio de arbitragem nas futuras competições da entidade internacional, respondeu: “Ainda estamos discutindo, mas a Copa está mostrando que não podemos nos fechar para as tecnologias. Se no futuro for possível, de modo análogo à tecnologia da linha do gol – disponibilizar meios técnicos em tempo real para ajudar a decidir situações determinantes, precisamos estar abertos a isso. Porque a transparência e a credibilidade estão acima de tudo no futebol".

quinta-feira, 26 de junho de 2014

O melhor trio de árbitros do planeta no jogo do Brasil

 Michael Mullarkey (à esquerda), Howard Webb (centro) e Darren Can (à direita), o melhor trio de árbitros do planeta

    Howard Webb e seus compatriotas Darren Can e Mike Mullarkey da Associação Inglesa de Futebol e membros do quadro da Fifa, foram designados pelo Comitê de Arbitragem da entidade que controla o futebol no mundo, para dirigir a importantíssima partida de sábado, pelas oitavas de final entre Brasil x Chile, no Mineirão.
    A trempe inglesa atua em conjunto desde 2009. Em 2010, dirigiram a Final da Liga dos Campeões entre Internazionale (Itália) x Bayer de Munique (Alemanha) e a final da Copa do Mundo da África do Sul, Espanha x Holanda.

    Webb, Cann e Mullarkey são considerados a “menina dos olhos” da The FA (Premier League, e pelo diretor de árbitros da entidade o ex-árbitro da Fifa Mike Riley. E, por consequência, reconhecidos por Michel Platini, presidente da Uefa, como o melhor trio de arbitragem do mundo.

    quarta-feira, 25 de junho de 2014

    Nesta quinta-feira, Busacca anuncia os apitos da segunda fase da Copa

    Nesta quinta-feira (26), encerra-se a primeira fase da Copa do Mundo, com as dezesseis seleções classificadas para as oitavas de final. A Fifa adota como praxe ao final da primeira fase de cada Mundial, e assim sucessivamente a cada fase concluída no que concerne aos homens do apito, dispensar árbitros e assistentes que tiveram desempenho em descompasso com os desígnios do Comitê de Arbitragem da entidade (deficiência técnica) e, por consequência, aqueles apitos e bandeiras cujas equipes possam gerar conflitos em futuras partidas.

    Portanto, a partir das primeiras horas da manhã desta quinta-feira, Massimo Busacca, o chefe de arbitragem da entidade internacional, após uma reunião com Jim Boyce, o presidente do Comitê de Árbitros da Fifa, e os demais membros do staff da arbitragem, terá a dificílima mas necessária missão, de comunicar aos dispensados o desligamento da continuidade na Copa do Mundo.

    Os árbitros e assistentes que serão desligados nesta primeira fase, além de terem vivenciado o maior espetáculo futebolístico do planeta, do Know-How adquirido ao longo dos últimos três anos, participaram de dezenove seminários em diferentes Continentes, e das excelentes instalações onde ficaram hospedados, e assim que forem notificados da dispensa receberão um cheque da Fifa no valor (R$ 114.000.00), e a passagem aérea de retorno aos seus Países de origem.

    Não vou falar daqueles que irão embora, porque posso cometer equívocos. Mas, vou permitir-me indicar alguns árbitros (apitos), que observei e tiveram desempenho em consonância com as Regras de Futebol e, por extensão, cometeram pequenos erros de interpretação e aplicação das leis do jogo.

    Bakary Gassama (Fifa/Zâmbia),Björn Kuipers (Fifa/Holanda), Carlos Vera (Fifa/Equador), Cüneyt Çakir (Fifa/Turquia), Howard Webb (Fifa/Inglaterra),Felix Brych (Fifa/Alemanha),Jonas Eriksson (Fifa/Suécia), Milorad Mazic (Fifa/Sérvia), Mark Geiger (Fifa/EUA), Nestor Pitana (foto/Fifa/Argentina), Nicola Rizzoli (Fifa/Itália),Pedro Proença (Fifa/Portugal), Sandro Meira Ricci (Fifa/Brasil) e Wilmar Roldan (Fifa/Colômbia).

    PS: A notícia sobre os cortes dos apitos e bandeiras que estão laborando na Copa do Mundo, deverá sofrer uma reviravolta. A informação que acabo de receber nesta manhã (26), diretamente do Rio de Janeiro, do Quartel General onde está hospedada a direção do Comitê de Arbitragem da Fifa, é que neste Mundial a entidade procederá de forma diferente. Não serão feitos cortes agora, apenas antes das semi-finais. Todos, árbitros e assistentes, inclusive os reservas, continuam no Brasil. O desligamento será informado a eles no dia 6 de julho, e os dispensados viajam no dia 7 de julho aos seus países de origem.
     




    Suárez tem o direito de ser ouvido, diz porta-voz da Fifa

    Investigado por ter mordido o zagueiro Giorgio Chiellini durante a vitória por 1 a 0 do Uruguai sobre a Itália, na terça-feira (24), o atacante Luis Suárez não deve vir ao Rio para apresentar sua versão do lance que pode tirá-lo do restante da Copa do Mundo.
    O atacante do Liverpool e da seleção uruguaia tem até as 17h desta quarta (25) para fazer sua defesa para o comitê disciplinar da Fifa.
    "O jogador tem todo o direito de ser ouvido", disse a porta-voz da entidade, Delia Fischer.
    Segundo a Fifa, é impossível saber de antemão qual o tamanho da punição que o jogador pode receber.
    É preciso antes que o comitê disciplinar reúna todas as informações sobre o caso para saber qual é o artigo exato do código disciplinar em que Suárez pode ser indiciado.
    "Devemos dar novas informações hoje no fim do dia ou amanhã", adicionou Fischer.
    O lance aconteceu no segundo tempo da partida que classificou os uruguaios para as oitavas de final da Copa e foi ignorado pelo árbitro Marco Rodríguez (foto), apesar das reivindicações de Chiellini, que mostrou a marca dos dentes do atacante em seu ombro esquerdo, e dos outros jogadores da seleção italiana.
    A Fifa se baseou no artigo 77.b de seu Código Disciplinar, que permite a imposição de punições retroativas diante de "erros óbvios" do árbitro. O artigo foi introduzido no regulamento em 2010, mas jamais foi aplicado. A Fifa, no entanto, já determinou punições, em outras ocasiões, baseada em imagens de vídeo.
    A primeira vez foi durante a Copa dos Estados Unidos, em 1994, quando suspendeu por sete partidas o italiano Mauro Tassotti, que quebrou o nariz do espanhol Luis Enrique, atual treinador do Barcelona, com uma cotovelada dentro da área, sem que o árbitro percebesse, durante as quartas de final em Boston.
    Luis Suárez, após o fim da partida contra a Itália, justificou sua ação da seguinte maneira: "São coisas do jogo. Me choquei com seu ombro, mas não houve nada. Somos todos jogadores de futebol".
    Em 2013, o atacante uruguaio do Liverpool foi suspenso por dez partidas no Campeonato Inglês por morder o defensor do Chelsea, o sérvio Branislav Ivanovic.
    Além disso, quando atuava pelo Ajax, da Holanda, pegou um gancho de sete partidas em 2010 por ter mordido o holandês Otman Bakkal, do PSV. 
    Fonte: Rafael Reis/ENVIADO ESPECIAL AO RIO DE JANEIRO/http://www1.folha.uol.com.br/esporte/folhanacopa/2014

    terça-feira, 24 de junho de 2014

    Galvão reclama de crítica de Ronaldo à seleção e corneta tira-teima Fifa

    Dois momentos chamaram a atenção durante a transmissão de ontem do jogo Brasil e Camarões, pela terceira rodada da Copa do Mundo de 2014 — e o narrador Galvão Bueno, que não costuma esconder seu entusiasmo na campanha em busca do hexacampeonato, foi o protagonista.
    Inicialmente, Galvão não gostou das críticas de Ronaldo e Casagrande ao desempenho da seleção brasileira no intervalo do primeiro para o segundo tempo, em que o Brasil vencia por 2×1, mas ainda não convencia. “Você não está exigente demais?”, disse o narrador para Ronaldo. “A gente quer espetáculo”, explicou-se o ex-jogador.
    Já no segundo tempo, Galvão ficou indignado com a exibição de um tira-teima que mostrava Fred em posição ilegal no terceiro gol da seleção brasileira. O recurso utilizado era oficial da FIFA e, portanto, não poderia ser alterado pela Rede Globo.
    Fred estava atrás da linha da bola, o que garante posição legal para o jogador, ao contrário do que sugeria a imagem exibida pela FIFA. O narrador informou que a Globo não poderia mostrar o tira-teima correto por questões contratuais, mas abordou o assunto insistentemente com a ajuda do comentarista de arbitragem Arnaldo César Coelho.
    Fonte da imagem: Reprodução/TV Globo
    Fonte da imagem: Reprodução/TV Globo
    LEIA MAIS EM UOL

    segunda-feira, 23 de junho de 2014

    Notícias do apito

    Vista curta
    Após assinalar dois impedimentos inexistentes na partida México 1 x 0 Camarões, o assistente Humberto Clavijo (Colômbia), foi colocado no “freezer” ao lado do árbitro Yuichi Nishimura (Japão), pelo Comitê de Arbitragem da Fifa. Ambos devem ser dispensados assim que a primeira fase da Copa terminar.

    Volta com Deus
    Outro apitador que deve receber bilhete “azul” ao final desta fase da competição, é o chileno Enrique Osses.  Este, não observou e não assinalou, o pênalti clarividente cometido pela zaga italiana, no meia Campbell da Costa Rica contra a Itália.

    Apitando com alegria
    Já o brasileiro Sandro Meira Ricci (foto) e seus compatriotas, Emerson Carvalho e Marcelo Van Gasse, estão em alta perante a Fifa, dado o excelente equilíbrio demonstrado nas tomadas de decisões e o perfeito trabalho em equipe. Nos dois prélios em que foram escalados, a trempe brasileira obteve excelente pontuação junto aos Observadores de Arbitragem da entidade internacional, e é séria candidata a dirigir mais dois jogos neste Mundial.
     
    Boa Platini
    Concedendo entrevista ao site do Uefa.com, o presidente da entidade europeia Michel Platini, perguntado se pretende utilizar a tecnologia na linha do gol, que está sendo usada na Copa do Mundo, nas competições da Uefa, respondeu: Até agora, decidimos não usar a tecnologia de linha do gol nos nossos torneios de clubes, porque iria custar muitos milhões de euros e nós preferimos usar esse dinheiro em projetos de requalificação e formação de novos árbitros.

    Possível em 2016
    Para a Eurocopa/2016, há uma possibilidade de usarmos a tecnologia, mas sempre em conjunto com os nossos árbitros e assistentes adicionais. Este assunto será discutido pelo nosso Comitê de Arbitragem.  Após o que o Comitê Executivo da Uefa, tomará a decisão final. Temos sido muito felizes com a implementação dos árbitros assistentes adicionais e acredito que é a melhor maneira de minimizar os erros cometidos nas áreas mais importantes do campo de jogo.

    Um brinde à disciplina
    A Copa do Mundo no Brasil tem o menor número de faltas desde 1994 nos EUA, que teve 29 infrações por jogo. Em 1998 na França, a média foi de 36 faltas. Já em 2002 no Japão/Coréia do Sul, tivemos 35,4 faltas. 2006, na Alemanha, 32,2. Na Copa da África do Sul, 29,6 e na atual até o final de semana que passou, 26,6 infrações por partida.

    Del Nero mira apito
    Em entrevista a uma revista de circulação nacional, o presidente eleito da CBF, Marco Polo Del Nero, questionado  qual seria o seu primeiro ato como presidente da CBF, afirmou que: “Pretende melhorar a qualidade da arbitragem nacional”. Temos de preparar os árbitros à altura. Profissionalizar os homens de preto. Fizemos uma experiência na Federação Paulista de Futebol com 20 árbitros. Pagamos salários a eles por um determinado tempo e a qualidade da arbitragem não melhorou. O que fizemos aqui foi dar assistência psicológica e técnica e prepará-los. Penso em termos trios de arbitragens fixos. Acredito que assim eles vão se entender melhor. Trabalhar junto por muito tempo dará a eles um entrosamento melhor.

    Melhor é rever
    A ideia de Del Nero não deixa de ser auspiciosa, porém, a melhora qualitativa do árbitro de futebol no Brasil, se  há interesse do futuro presidente da CBF, requer de maneira  imperiosa uma reformulação na formatação das comissões de arbitragens e nas escolas de formação de árbitros das federações estaduais.

    Olho neles
    As comissões de arbitragens e as escolas de formação dos apitos e bandeiras dessas entidades, foram transformadas em “feudos”, cabides de emprego e entregues a “prepostos” e “teóricos” pelos presidentes das federações de futebol. É essa gente, muitos com visíveis sinais de caquexia, que está infiltrada nas federações tal qual “metástase” no corpo humano, que comandam as comissões e as escolas de arbitragem. Ou muda a composição das comissões e das escolas, o então (ne varietur), ou seja, nada será mudado.

    Recondução confirmada
    No próximo dia 30, acontece a eleição para a diretoria da Associação Nacional de Árbitros de Futebol (Anaf). Marco Antonio Martins, o principal responsável pela aprovação do Decreto Lei nº 12.867, que regulamentou e reconheceu a atividade do árbitro do futebol brasileiro como profissional, será reconduzido mais uma vez ao comando da Anaf.

    Logo confederação dos árbitros
    A eleição se faz necessária, porque alguns sindicatos ainda não conseguiram a documentação exigida para a formação da Federação Brasileira de Árbitros de Futebol. Para se fundar uma federação de uma categoria trabalhista de acordo com a legislação vigente no Brasil, são necessários cinco sindicatos com o Certificado de Registro Sindical (Carta Sindical).

    Braatz elevando as arbitragens
    A formatação da nova diretoria da Anaf e futura direção da Federação Brasileira de Árbitros de futebol, traz a presença do ex-assistente da Fifa Roberto Braatz, como vice-presidente. Braatz, que é instrutor da CBF e Observador de Arbitragem da Conmebol, pode se desejar, contribuir para que o futebol do Paraná, no que tange à arbitragem, recupere o terreno perdido nos últimos oito anos perante o cenário nacional.

    FPF vai ter que mudar
    Além disso, é importante que Braatz dialogue com a direção da Federação Paranaense de Futebol (FPF), e exponha as razões ao seu presidente de que sem uma comissão de árbitros e sem uma escola de arbitragem formada por pessoas com elevada capacitação, o quadro de árbitros da (FPF), a persistir no caminho que vem trilhando pelo oitavo ano consecutivo, ficará circunscrito a dirigir jogos do fraquíssimo Campeonato Paranaense e as competições de cerveja e refrigerante da entidade.  

    Críticas são oportunas
    Membros do quadro de árbitros da Federação Paranaense de Futebol(FPF) e da Relação Nacional de Árbitros de Futebol da CBF (Renaf), utilizaram-se de um interlocutor para pedir a este colunista, moderação nas críticas exacerbadas que tenho feito a respeito do fraquíssimo modelo de gestão vigente no setor do apito da Casa Generis Calvo. 

    Omissão indiscutível
    Nos comentários ou críticas efetivadas ao longo de uma década, sempre visei o incremento e crescimento qualitativo do quadro de árbitros da (FPF). Quem me lê aqui neste espaço é testemunha das inúmeras ideias, sugestões e projetos que foram colocados a disposição da arbitragem paranaense. Lamentavelmente, a arrogância, o anacronismo, a propaganda mentirosa e a falta de um projeto de excelência de quem está no comando de um dos setores mais importantes do futebol, que é a arbitragem, prevaleceram.

    CA/CBF sabe de tudo
    Tanto é verdade que o futebol paranaense perdeu as vagas de Evandro Rogério Romam e Heber Roberto Lopes na Fifa e não preparou ninguém para substituí-los. Não tem um árbitro Asp/Fifa, e o que tem é oriundo do Rio de Janeiro. Além disso, há seis anos ininterruptos o setor de arbitragem da (FPF), não indica um candidato para o teste seletivo de Asp/Fifa, porque não tem árbitros com as credenciais exigidas pela CA/CBF. E, pelo segundo ano consecutivo, a CA/CBF não escala nenhum apito da Federação Paranaense de Futebol, numa partida top de linha do Campeonato Brasileiro da Série A.