sábado, 30 de junho de 2012

Proença pronto para o ponto alto da carreira

O árbitro português Pedro Proença vai culminar uma época memorável quando dirigir o seu quarto, e mais importante, jogo da Eurocopa/2012, no domingo à noite, em Kiev. Com de 41 anos, Proença também teve a seu cargo a final da UefaChampions League, realizada em Munique no último dia 19 de Maio e disse ao UEFA.com, que a nomeação para a final, no Estádio Olímpico, não é apenas um privilégio e uma honra como também o auge da sua carreira. Confira  a entrevista que o nominado árbitro concedeu horas antes da grande final.
UEFA.com: Ser escolhido para a final da Eurocopa/2012 deve ser muito especial para si?
Proença: Sim, é uma honra ter esta oportunidade e ser convidado. Para qualquer árbitro este seria um dos melhores momentos da sua carreira, e sinto-me realmente privilegiado por ter sido convidado, tal como a minha equipe. É um sinal de reconhecimento do trabalho que desenvolvemos neste torneio, por isso dá-nos felicidade, que tem de ser partilhada com os dois finalistas.
Pedro Proença (Fifa/Portugal)

UEFA.com: Como se sente por ter arbitrado a final da UEFA Champions League e da Eurocopa/ 2012?
Proença: Isto significa que finalmente atingi o auge da minha carreira como árbitro. Vários fatores contribuíram para eu chegar aqui, com esta idade, e atingir o mais alto nível. Sinto-me muito satisfeito e privilegiado, por isso nesta decisão vou  honrar o trabalho, aproveitar ao máximo e partilhar a felicidade com os meus colegas.
UEFA.com: Já esteve presente em jogos que envolveram vários destes jogadores. Isso ajuda-o?
Proença: Felizmente, conheci vários jogadores ao longo dos anos nas competições da UEFA e, como é óbvio, o futebol é uma linguagem universal. O comportamento das pessoas de origem latina é um pouco diferente e temos uma linguagem corporal que facilita o entendimento entre nós. Compreendo o comportamento dos jogadores e eles compreendem o do árbitro. Deste ponto de vista, vai ser um pouco mais fácil para mim.
UEFA.com: O que significa para um português dirigir a final?
Proença: Neste momento, representamos a qualidade da arbitragem portuguesa, e espero que amanhã isso fique provado no gramado. Mostra o trabalho que nós, portugueses, temos desenvolvido durante todo este tempo. Sinto-me satisfeito e sei que este sentimento é partilhado por todos os árbitros portugueses. Amanhã vou representar meu país, que é  Portugal.
UEFA.com: Pode explicar um pouco melhor o que exige dos seus auxiliares?
Proença: O árbitro é apenas a face de uma equipe e não podia fazer nada se não tivesse estes homens fantásticos comigo. São eles que, no final do dia, me dão apoio e confiança para decidir o que é melhor. Amanhã será um prêmio que vai ser partilhado por muitas pessoas, mas acima de tudo, por aquelas que vão estar comigo em campo, estes quatro homens fantásticos.
UEFA.com: O que pensa do Eurocopa/2012 até ao momento?
Proença: Tem sido fantástico. Quero destacar o comportamento de cada atleta e de cada jogador. Mostraram um "fair play" extraordinário. Isto mostra o respeito que têm pelos adeptos, o público e as pessoas que assistem através da televisão. União e respeito, que é algo que eu penso que as pessoas merecem, foram expressados pelos jogadores.
Fonte: Uefa.com

A maior das honras

Estar numa final de um Campeonato da Europa poderá ser um momento único da carreira de um jogador, o mesmo se aplicando a um árbitro.
A equipa de arbitragem que vai estar na final do Eurocopa/2012 – liderada por Pedro Proença – vai também ter a sensação quase única de saber que chegou ao ponto mais alto do seu jogo. Howard Webb (foto), que  apitou a final da UEFA - Champions League e do Campeonato do Mundo em 2010 na África do Sul, sabe bem o que tudo isto quer dizer. "Foi uma sensação fantástica ouvir aquelas palavras – 'Jogo 64: Holanda x Espanha, árbitro: Webb, Inglaterra'.

   
É algo que muda a nossa vida, a dos nossos auxiliares e a das nossas famílias".
"Como é óbvio, estamos conscientes da importância do jogo, mas o nosso papel é fazer aquilo para o qual fomos escolhidos. São na mesma 11 contra 11, durante 90 minutos, ou duas horas, caso seja preciso prolongamento. Aquele nervoso miúdinho que se sente sempre, vai desaparecer. Quando se apita pela primeira vez, temos que lembrar a nós próprios que já fizemos aquilo  inúmeras vezes. Penso que com os jogadores é o mesmo - só querem que comece".
Markus Merk dirigiu o encontro que a Grécia derrotou Portugal por 1-0, no derradeiro encontro do UEFA EURO/2004. "A final é o ponto alto que se pode atingir na carreira", disse. "É um momento especial e um grande prazer ter essa honra. Toda a gente quer estar em uma final, tanto jogadores como árbitros".
O juiz da partida pode sentir as mesmas emoções dos jogadores durante uma final, ajudando a resolver a fricção vinda do desespero em querer vencer o mais importante dos encontros. "Temos que lidar com 22 pessoas no relvado e saber como o fazer", disse o alemão Wolfgang Stark. "É um aspecto muito importante do trabalho de um árbitro, mas é algo para o qual estamos todos preparados em uma Eurocopa. No começo, absorvemos o ambiente que está no estádio porque isso também nos motiva, mas depois temos que desligar e focarmo-nos outra vez no jogo".
Quando a partida começa, o conhecimento fica acima da injeção de adrenalina que acontece. A bravura e a compreensão são fundamentais também, porque há que  se tomar decisões difíceis em situações complicadas. E não só apenas o árbitro, mas também os assistentes. "Olhamos para cada jogo, porque em cada um há sempre uma pequena diferença e podemos sempre melhorar o trabalho de equipe", acrescenta Webb ao referir-se à preparação do encontro juntamente com os seus colegas.
"Nunca se deve tomar nada por garantido. Acredito muito que a preparação é fundamental e que eu e a minha equipe, se nos preparmos bem, seremos bem sucedidos. Se não nos preparmos devidamente há um velho ditado que diz que então nos estamos suscetíveis a falhas – é assim que eu penso".
Quando se observa os árbitros  subirem as escadas e  receberem as suas medalhas em Kiev, podem estar certos que é precisamente essa grande atenção ao detalhe que os colocou lá.
Fonte: Uefa.com

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Del Nero é o vice da Região Sudeste

Leomar de Melo Quintanilha, presidente da Federação de Tocantins, Marcos Antonio Ferreira, vice-presidente da Região Nordeste, Marco Polo Del Nero, vice-presidente da Região Sudeste, presidente José Maria Marin, Weber Magalhães, vice-presidente Região Centro-Oeste e Fábio Nogueira, vice-presidente da Região Sul - Foto: Rafael Ribeiro / CBF.

Em Assembleia realizada nesta sexta-feira na sede da entidade, Marco Polo Del Nero foi eleito vice-presidente da Confederação Brasileira de Futebol. Tendo a candidatura proposta pela Federação de Futebol do Rio de Janeiro e subscrita pelas outras 26 federações e pelos 20 clubes integrantes da Série A, Del Nero teve o nome consagrado pelo voto de todos os presentes.
Marco Pelo Del Nero teve a sua competência à frente da administração da Federação Paulista destacada pelo presidente José Maria Marin e exercerá o mandato na CBF até abril de 2015.

ANAF recebida pelo Presidente da CBF

A diretoria da ANAF foi recebida pelo presidente da CBF, Dr. José Maria Marin, na sede da entidade no Rio de Janeiro, nesta sexta-feira (29). O encontro registrou as presenças do Dr. Edson Rezende de Oliveira, Sérgio Corrêa, Marco Martins, José Maria Marin e Salmo Valentim.
Na oportunidade, foram tratados de diversos assuntos de interesse da categoria e entregue em mãos convite para a XXXI Assembléia da ANAF, que será realizada no segundo semestre em São Paulo.
O diretor financeiro da ANAF, Salmo Valentim, estava no Rio de Janeiro desde quarta-feira. Ele participou de um reunião da CEAF-PE com a CA-CBF.
 Fonte: Anaf

Confirmado: Pedro Proença apita a final


Pedro Proença, que dirigiu no mês passado a final da UEFA Champions League, vai apitar a final de domingo da Eurocopa 2012, entre a Itália e a Espanha.
Proença vai apitar a final do UEFA EURO 2012
Pedro Proença já arbitrou três encontros na Polónia e Ucrânia ©Getty Imagens
Pedro Proença foi nomeado o árbitro da final do UEFA/EURO 2012, entre a Itália e a Espanha, que será disputata no Estádio Olímpico de Kiev, no domingo, às 19h45 (Portugal continental).
Esta escolha coroa um final de temporada inesquecível para este diretor financeiro, nascido no Pinhal Novo, que já apitará em Maio, a final da UEFA Champions League, em Munique, em que o Chelsea FC derrotou o FC Bayern München na cobrnaça de tiros livres desde a marca penal..
O encontro de domingo será o quarto dirigido por Proença, de 41 anos, na competição, depois de ter apitado dois jogos na fase de grupos  – a vitória da Espanha por 4-0 sobre a República da Irlanda, a 14 de Junho, e a vitória da Suécia, por 2-0, sobre a França, cinco dias depois – , bem como as quartas-de-final entre a Inglaterra e Itália, na capital ucraniana.
Proença será auxiliado pelos compatriotas Bertino Miranda e Ricardo Santos, com Jorge Sousa e Duarte Gomes a serem os árbitros auxiliares adicionais. O quarto árbitro será Cüneyt Cakır e o auxiliar de reserva Bahattin Duran, ambos da Turquia.
Proença realizou sua brilhante carreira ascencional na Europa desde que apitou, em 2004, a final do Campeonato da Europa de Sub-19. Chegou à categoria de elite da UEFA no início de 2009/10, tendo dirigido quatro encontros da UEFA Champions League nessa temporada, cinco em 2010/11 e seis na presente época, culminados com a final, a 19 de Maio, na Fußball Arena München.
Fonte: Uefa.com
PS: Pedro Proença (Fifa/Portugal), é considerado na atualidade o melhor árbitro do futebol mundial. Pouquíssimos árbitros no planeta conseguiram a projeção que o indigitado apito atingiu numa temporada com tamanha capacidade, inteligência  e principalmente fidalguia. Aliás, o quinteto de ouro dos homens de preto  da Fifa para 2014, traz além de Pedro Proença, Howard Webb (Inglaterra), Cuneyt Cakir (Turquia), Enrique Osses (Chile) e Wilmar Roldan (Colômbia).

Pedro Proença na final da Eurocopa



Árbitro português é dado como o escolhido pela UEFA para dirigir o derradeiro jogo entre a Espanha e a Itália.

Depois de ter arbitrado a final da Liga dos Campeões entre o Bayern e o Chelsea esta temporada, Pedro Proença será agora nomeado pela UEFA para arbitrar a final do Campeonato da Europa, entre a Espanha e a Itália, no próximo domingo.

O português era um dos três candidatos a arbitrar a final do Euro 2012, juntamente com o inglês Howard Webb, que apitara a final do Mundial 2010, e o italiano Nicola Rizzoli, todos colocados de prevenção para o jogo decisivo, marcado para 1 de Julho, em Kiev.

Habitualmente, a UEFA retira de prova os árbitros dos países que se apuram para as meias-finais do torneio, o que não sucedeu agora com Pedro Proença e Nicola Rizzoli, naturais de dois países que vão discutir a presença na final. Mas o português ganhou a corrida ao italiano depois de Portugal ter sido eliminado (perdeu com a Espanha) e Rizzoli ter visto a Itália garantir um lugar na final ao afastar a Alemanha, na quinta-feira, na outra meia-final.

Pedro Proença já dirigiu três jogos da fase final, o último no domingo, entre a Itália e a Inglaterra, dos quartos-de-final, que os italianos venceram no desempate por grande
s penalidades.

O árbitro português, de 41 anos, estreou-se na fase final do Euro 2012 a 14 de Junho, na goleada por 4-0 da Espanha, campeã europeia e mundial, sobre a República da Irlanda, na segunda jornada do Grupo C. 

A 19 de Julho, orientou o encontro entre a França e a Suécia, jogo da terceira e última jornada do Grupo D, que os escandinavos, já eliminados na altura, venceram por 2-0.

O lisboeta tem cumprido a melhor época desde que recebeu as insígnias da FIFA, em 1993, num percurso coroado, até ao momento, com a final da Liga dos Campeões, ganha pelo Chelsea ao Bayern de Munique, nas grandes penalidades.
Fonte: Público/Refereetip

domingo, 24 de junho de 2012

Talento e competência na decisão

Assim que a Comissão de Árbitros da Conmebol  anunciou o nomes dos dois árbitros que irão dirigir as duas partidas decisivas da maior competição da América do Sul, a Taça Libertadores da América entre Corinthians/Brasil x Boca Junior/Argentina, a imprensa esportiva brasileira demonstrou um certo ceticismo quanto as designações de Enrique  Osses, 37, (Fifa/Chile) e Wilmar Roldan, 31, (Fifa/Colômbia). Osses apita o jogo na La Bombonera e Roldan comanda a finalíssima no Brasil.
 Foto: Apito do Bicudo
Wilmar Roldan
Se os nomes acima nominados causaram estranheza para determinados setores, para nós que vivenciamos a arbitragem diariamente em âmbito nacional e  internacional,  Enrique Osses e Wilmar Roldan representam o que de melhor existe na arbitragem Sul-americana na atualidade.

Ambos, Osses e Roldan estão sendo preparados meticulosamente por suas federações com vistas a Copa de 2014 no Brasil e, por extensão, vêm laborando nas diferentes competições da Confederação Sul-americana de Futebol com absoluto sucesso. Minha predileção é por Wilmar Roldan, a quem julgo o mais completo árbitro da América Latina na atualidade.

Se conseguir manter sua dinâmica de arbitragem e aprimorá-la ainda mais, Roldan, que tem como instrutor a prepará-lo aquele que é considerado o árbitro das Américas, o ex-árbitro da Fifa/COL, Oscar Ruiz, hoje instrutor Fifa, virá ao Mundial do Brasil  como candidatíssimo a ser o árbitro da Copa.
PS: no atual quadro de árbitros da CBF temos dois nomes que  se assemelham a dupla acima mencionada: Wilson Luis Seneme (Fifa/SP) e Leandro Pedro Vuaden (Fifa/RS).

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Ministro do Esporte apoia profissionalização da arbitragem

Divulgação

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, manifestou apoio à profissionalização da arbitragem e reconheceu a ANAF como legítima representante da categoria na luta pela aprovação da Lei que regulamenta a atividade. “Defendemos uma política nacional de esporte, aprovada pelo Congresso que seja permanente, com metas clara. A profissionalização da arbitragem será um avanço para o esporte do Brasil”, disse o ministro.
Os diretores da ANAF Marco Antônio Martins e Salmo Valentim estiveram juntos na recepção ao ministro na Assembleia Legislativa de Santa Catarina nesta sexta-feira (22). Aldo Rabelo participou do ato de lançamento da Frente Parlamentar Pró-SC – Copa 2014 e fez palestra sobre as oportunidades que poderão ser proporcionadas ao Estado com a realização da Copa do Mundo da Fifa e a Olimpíada em 2016.
Divulgação

Após a palestra que reuniu personalidades ligadas ao esporte, entre elas o ex-tenista tricampeão de Roland Garros, Guga Kurten, um grupo de árbitros liderados pela ANAF encontrou-se com o ministro. Na oportunidade, os dirigentes da ANAF entregaram uma pasta contendo informações sobre o projeto de Lei que trata da profissionalização atualmente tramitando no Senado. O ministro endossou a reivindicação e publicamente se manifestou pela aprovação do projeto.
A presidente da Frente Parlamentar Pró-SC – Copa 2014, deputada estadual Angela Albino (PCdoB) também declarou apoio a profissionalização da Arbitragem, lembrando a unidade da categoria em torno da reivindicação. A parlamentar recebeu de presente uma camiseta da ANAF e imediatamente a vestiu. “Quero cumprimentar a ANAF pela defesa de uma reivindicação tão justa. A profissionalização da arbitragem conta com nosso apoio irrestrito”, disse Angela.

Fonte: Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (Anaf)

Altemir Hausmann, um show de bandeirinha

Paulo Germano/Zero Hora

O bandeirinha, todo mundo sabe, se move lateralmente à beira do campo.
A não ser que esse bandeirinha seja Altemir Hausmann, um gaúcho "grosso do Interior" – palavras dele – que protagonizou um rodopio frenético no fim da partida entre Santos e Corinthians, na terça-feira.

Auxiliar de arbitragem da Fifa, apontado como um dos melhores do país, Hausmann tem aparecido mais do que muito jogador nos últimos tempos. Coleciona incomodações. E produz episódios extravagantes, como aquele aos 47 minutos do segundo tempo, no Pacaembu, segundos antes da consagração do Corinthians como finalista da Libertadores.
– Em uma partida como a de quarta, se não entro com uma postura elétrica, forte, rígida, o jogo acaba me engolindo – avalia Hausmann, 43 anos.
                                     Braatz, Simon e Hausmann na Copa da África do Sul
De certa forma, foi Hausmann que engoliu o jogo. Nenhum lance repercutiu tanto, especialmente na internet, quanto a correria circular do assistente. A cena ocorreu quando o árbitro Leandro Vuaden, nos acréscimos da partida, marcou falta para o Corinthians. Percebendo que os santistas estavam muito próximos da bola, Hausmann entrou correndo em campo: tirou do bolso a lata de spray branco e, em alta velocidade, demarcou no gramado uma insólita meia-lua.
O Pacaembu – que, como qualquer estádio, nunca vira nada parecido – assistiu atônito.
– É que o uso do spray pelos auxiliares é muito recente. O pessoal não está acostumado. Mas, se a regra manda os jogadores ficarem a 9m15cm da bola, não vou aceitar que fiquem a 8m50cm – afirma o bandeirinha, um rigoroso convicto.
Todo esse rigor, somado à personalidade forte – "sou pitoresco mesmo, mas foi assim que pautei minha carreira e não abrirei mão disso" –, não raro eleva Hausmann ao centro das atenções.
Natural de Estrela (com o perdão do trocadilho), o assistente foi alvo de críticas do técnico do Inter, Dorival Júnior, após a final do Gauchão contra o Caxias, no mês passado.

– Infelizmente o senhor Altemir Hausmann, que é um excepcional bandeira, desde que voltou da Copa do Mundo assumiu uma condição de ser mais importante que os jogadores dentro do espetáculo – disse o treinador, expulso daquele jogo a pedido do auxiliar.
No Gauchão de 2011, o gremista André Lima acusou Hausmann de dizer "Deus é justo" após uma lesão do centroavante, que antes reclamara de um impedimento marcado pelo bandeirinha. O assistente tem outra versão:
– Falei "Deus é justo" porque o quarto árbitro me informou que, na TV, mostraram que eu havia marcado corretamente o impedimento. Quanto ao Dorival, não aceito que ninguém interpele minhas decisões fazendo gestos, jogando a arbitragem contra a torcida.
Segundo o comentarista de arbitragem Arnaldo Cezar Coelho, "Hausmann tem ótima precisão e excelente visão periférica".
– Mas, quanto mais velho somos, mais intolerante também ficamos – pondera Arnaldo.
O auxiliar de 43 anos, ainda mais famoso depois do rodopio de terça-feira, não vai mudar em nada:
– O futebol é uma baita ferramenta educativa. As crianças adoram. Se começarmos a passar a mão sobre os jogadores, se deixarmos infringir regras, cometeremos um grande equívoco. Eu sou rígido.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Eles são os personagens da bola

Exige-se do árbitro cada vez mais profissionalismo no que concerne a sua postura dentro e fora de campo. O árbitro profissional  de acordo com a Fifa é aquele que se comporta de maneira correta e cortês em qualquer situação e em qualquer atividade. Mas para a entidade que comanda o futebol no planeta, o árbitro do século 21 tem que ser ético dentro do campo de jogo e fora dele, respeitando os atletas, os dirigentes, os torcedores, a imprensa e os seus colegas de profissão.
O árbitro que almeja ostentar o escudo da entidade internacional de futebol e, por extensão, ser selecionado para as competições da entidade que pertence e da Fifa, deve trabalhar, se aprimorar nos quesitos social, físico, técnico, tático, psicológico, evoluir, crescer e modernizar sua dinâmica de arbitragem a cada partida que é escalado, afirmou Pierluigi Collina na segunda-feira que passou aos árbitros da Uefa por ocasião do encerramento da primeira fase da Eurocopa/12.
                                            Divulgação
Wilton Pereira Sampaio
Na quarta-feira no Coritiba 2 x 0 São Paulo, partida de volta pela Copa do Brasil, observei com muito desvelo o comportamento do excelente árbitro Wilton Pereira Sampaio (Asp/Fifa/GO) - desde a sua chegada ao estádio Couto Pereira, até o momento em que trilou seu apito com silvo inconfundível.
Confesso que raríssimas vezes presenciei um comportamento ético, moral, profissional, impoluto nas ações de um árbitro em jogos na cidade Curitiba, envolvendo as equipes paranaenses contra um dos “grandes” do futebol brasileiro, como o demonstrado por Wilton Pereira Sampaio. Suas tomadas de decisões assim que a bola entrou em jogo foram uniformes do princípio ao fim. Arbitragem perfeita!
PS: no Corinthians 1 x 1 Santos, pela Libertadores, tivemos outra aula de cátedra de arbitragem sob a regência de Leandro Pedro Vuaden (Fifa/RS), que vivencia a melhor fase da sua trajetória como árbitro. Aliás, a CA/CBF deveria editar um DVD das duas arbitragens aqui nominadas e encaminhá-las ao Dr. Carlos Alarcón, presidente da Comissão de Arbitragem da Conmebol e o mais antigo membro da Comissão de Árbitros da Fifa, como forma de valorizar a arbitragem nacional no cenário internacional.

Collina avalia como positivas as arbitragens

Pierluigi Collina, responsável pela arbitragem da Uefa, ficou satisfeito com o nível das arbitragens nos 24 jogos da fase de grupos do Eurocopa/2012 e agradeceu aos jogadores pela sua conduta.

Mark Chaplin de Varsóvia
Avaliação positiva de Collina às arbitragens
Pierluigi Collina Press Conference - UEFA EURO 2012 ©Sportsfile
Pierluigi Collina, chefe do departamento de arbitragem da Uefa, expressou a sua satisfação pela qualidade da arbitragem nos 24 jogos da fase de grupos do Eurocopa/2012, e também elogiou os jogadores pelo seu comportamento geral no torneio até agora.
Numa opinião geral sobre os temas da arbitragem do torneio, que está  acontecendo na Polônia e na Ucrânia, Collina disse que o diálogo que precedeu o torneio entre os membros do Comitê de Árbitros da Uefa e os jogadores e treinadores de cada seleção teve um papel importante no reduzido número de casos verificados nos jogos.
"Houve um longo período de preparação para as equipes de arbitragem em vários aspectos, que as ajudou a conseguir as melhores exibições possíveis em campo", afirmou o ex-árbitro italiano, que apitou alguns dos jogos mais importantes a nível mundial durante a sua notável carreira. "Ao longo dos últimos dois anos, o feedback que temos recebido sobre o trabalho dos árbitros tem sido muito bom. O sentimento geral do mundo do futebol tem sido bastante positivo e estamos muito satisfeitos com isso".
"Os 12 árbitros escolhidos para esta Eurocopa estão, sem dúvida, entre os melhores da Europa", acrescentou Collina. "Depois dos primeiros 24 jogos, estamos satisfeitos com as exibições. Procuramos a consistência, algo que é sempre importante conseguir quando se está a interpretar as Leis do Jogo em campo - e, em particular, a tomar decisões relacionadas com foras-de-jogo e faltas. É preciso ser consistente e penso que  temos sido nesta competição".
Antes do torneio, membros do Comitê de Arbitros da Uefa reuniram-se com jogadores e treinadores nos estágios das seleções para discutir as instruções dadas aos árbitros selecionados para a competição. "Sentimos a necessidade de fazer com que as decisões dos árbitros sejam compreendidas pelos jogadores e treinadores, explicou Collina. "O feedback é muito positivo. O comportamento dos jogadores em campo tem sido elogiável, a nível de cooperação com os árbitros e de aceitação das decisões. Definitivamente, tem havido menos casos. Não tivemos cartões vermelhos por conduta violenta. Quero aproveitar esta oportunidade para em público, agradecer a todos os jogadores que participaram dos primeiros 24 jogos".
Collina disse que a preparação dos árbitros assistentes também progrediu nos tempos mais recentes. "No futebol moderno, o fora-de-jogo tornou-se muito importante. Decidimos dedicar mais atenção aos árbitros assistentes. Um staff de antigos árbitros assistentes trabalhou com os selecionados antes da  competição e temos aqui antigos árbitros assistentes a trabalhar como instrutores.
Quando um árbitro assistente toma uma decisão, pode levantar a bandeira ou deixá-la em baixo. Consideramos todas as decisões tomadas pelos árbitros assistentes envolvendo uma distância de um metro a partir da linha de fora-de-jogo, com o assistente a levantar a bandeira ou a deixá-la em baixo. Tivemos 302 decisões dessas nos 24 jogos, com 289 corretas e 13 erradas. Isto representa 95,7% de acerto, e isso é um grande resultado.
Mais importante ainda, 19 gols foram marcados numa decisão muito positiva tomada pelo árbitro assistente, ao deixar a bandeira em baixo. Estamos muito satisfeito com as exibições dos árbitros assistentes.
Os 31 jogos na Polônia e Ucrânia estão sendo dirigidos por um árbitro, dois árbitros assistentes e um quarto árbitro, auxiliados por dois árbitros assistentes adicionais, bem como um árbitro assistente suplente. Os árbitros assistentes adicionais estão posicionados junto à linha de gol, no contexto de uma experência em curso, autorizada pelo International Board, centrando atenções em particular nos jogadores dentro das áreas.
Numa avaliação geral, os assistentes adicionais contribuíram 16 vezes nos 24 jogos para decisões tomadas pelos árbitros, referiu Collina. Entre estas, houve três situações de gols validados ou não. Duas dessas decisões foram absolutamente corretas e a terceira foi, infelizmente, errada. Foi um erro humano cometido por um ser humano. Foi o único problema que tivemos nesta experiência, num número alargado de jogos da Uefa Champions League, Uefa Europa League e na Eurocopa/12. Temos dado o nosso melhor para que esta experiência funcione, e estamos a treinar muito os árbitros assistentes adicionais, preparando-os para estas situações que podem acontecer".

terça-feira, 19 de junho de 2012

Um "fantasma" atormenta os árbitros


As constantes falhas cometidas por árbitros e assistentes durante uma partida de futebol podem ser explicadas através de estudos científicos.  A arbitragem ganha mais um aliado que poderá atenuar as inúmeras incompreensões e agressões verbais que são lançadas pelos torcedores, dirigentes, atletas e às vezes até mesmo pela imprensa contra os mesmos, sobretudo na marcação da Regra 11 – o impedimento.
Estudo divulgado pela conceituada Revista Science que tem a lavra dos pesquisadores Liqiang Hiang da Universidade de Hong Kong, Anne Treisman, da Universidade de Princeton, e Harold Pashler, da Universidade da Califórnia, afirma que, todos os seres humanos são possuidores de uma fraqueza e tem dificuldades para captar o movimento de dois ou mais objetos ao mesmo tempo – assim como mais de uma cor ou orientação espacial simultaneamente.
Em síntese, a impressão que temos de visualizar uma cena complexa por inteiro é só coisa da nossa mente. De acordo com os pesquisadores a visão humana funciona  percebendo só uma característica  por vez em cada ponto do espaço. Para cada local, só é possível observar conscientemente uma cor (verde, por exemplo) e movimento (para a direita) por vez. No momento de processar a informação de uma cena complexa, o cérebro teria de realizar uma escolha: poderia captar, ao mesmo tempo, dois objetos e suas posições, porém não conseguiria captar com  a mesma clareza as cores deles, ou a direção e velocidade de seu deslocamento.
Analisar as limitações da percepção humana não é exatamente novidade. Há vários estudos em curso em diferentes universidades do planeta que mostram que, mesmo em situações bem mais simples que um jogo de futebol, a capacidade de perceber uma imagem depende muito da quantidade de imagens nas quais o ser humano está focado conscientemente.
O estudo dos indigitados cientistas  no que tange a arbitragem (assistente) - termina afirmando que, é como se o bandeira conseguisse ver com certa facilidade as posições tanto do atleta que lança a bola quanto do atacante, mas sofresse mais para ver que a camisa deles é a mesma, e não a da equipe que está na defesa. O mesmo parece valer para o movimento. Se dois jogadores estão se movimentando, a visão do bandeirinha fica borrada.
Os pesquisadores sugerem que, na verdade, a mente humana faria uma imagem composta da cena, juntando dados de instantes diferentes num quadro artificial único. Resta saber como irá proceder a Fifa com relação à esta pesquisa científica, e quais serão os mecanismos utilizados daqui em diante para aprimorar o campo visual dos assistentes, ou se teremos a implementação da eletrônica no futebol.
 Aliás, a Fifa anunciou para o próximo dia 6 de julho se vai ou não implementar a  bola com chip para equacionar lances como o do inglês Lampard na Copa da África do Sul, quando a bola ultrapassou a linha de meta em 39 centímetros no choque com a Alemanha e o assistente uruguaio Mauricio Espinosa e seu compatriota Jorge Larrionda, não conseguiram captar a velocidade da bola e não validaram o gol legítimo.  No prélio Inglaterra  1 x 0 Ucrânia pela Eurocopa/2012, tivemos lance semelhante. Pelo andar da carruagem, o próximo passo da entidade que controla o futebol no planeta no que tange a eletrônica, deverá contemplar os assistentes o que na nossa opinião é um fato irreversível.      


segunda-feira, 18 de junho de 2012

Jovens apitos no pedaço

Observando a  designação dos árbitros e assistentes para as partidas de volta da Copa do Brasil, vislumbrei pela primeira vez nos últimos anos a CA/CBF optar em deixar de fora os árbitros de maior projeção nos jogos decisivos desta competição e inclinar-se  pela juventude de dois árbitros promissores.  No Couto Pereira, o comando de Coritiba x São Paulo estará sob a batuta daquele que na nossa opinião é a maior revelação da arbitragem brasileira na última década. Refiro-me a Wilton Pereira Sampaio (Asp/Fifa/GO) - fortíssimo candidato ao escudo da Fifa no final deste ano. 

                                     Wilton Pereira Sampaio
Na outra semifinal da Copa do Brasil na Arena Barueri, Palmeiras x Grêmio se enfrentam com o  apito do árbitro detentor da melhor arbitragem do ano até o presente momento. Ele se chama Ricardo Marques Ribeiro (Fifa/MG), que na quarta-feira que passou no Morumbi, foi perfeito no São Paulo 1 x 0 Coritiba. 

PS: encontro o gerente da Federação Paranaense de Futebol Luiz Antonio Gusso, que me diz estar profundamente chateado por tê-lo nominado como leigo, por ocasião do recente teste teórico realizado na sede da FPF para árbitros e assessores.  Naquela ocasião, Gusso foi designado pela CBF para "fiscalizar" o teste nominado. A questão é simples: Gusso deveria ter a sensatez de declinar da indicação pelos seguintes motivos. Ele não é versado nas Regras do Jogo de Futebol. É gerente da entidade e tem contato direto com os envolvidos e o teste em tela era de fundamental importância para o aprimoramento dos que estavam sendo avaliados. E, por último, se se confirmar que foi a CBF quem o indicou, é vergonhoso para o futebol pentacampeão do mundo permitir que uma pessoa sem as devidas credenciais  "fiscalize" um  teste de tamanha magnitude. 


Campeonato Brasileiro

Paulo Pinto/ Folhapress
Paulo Pinto/ Folhapress /
Brasileiro

Árbitro relata ofensas e ameaças de Luis Fabiano

Atacante foi expulso na partida contra o Atlético-MG após reclamar com o árbitro
  Agência Estado
O atacante Luis Fabiano pode pagar caro pela expulsão do jogo contra o Atlético-MG, neste domingo, no Morumbi, por reclamação. Na súmula da partida, o árbitro Elmo Alves Resende Cunha relatou uma série de ofensas do capitão tricolor depois de receber um cartão amarelo por falta.
“Aos 40 minutos do segundo tempo, expulsei de campo o jogador Luis Fabiano por (ter) reclamado comigo dizendo as seguintes palavras: 'Porra, marca só uma, seu m... (Você) está inventando desde o início, é muito fraco". Após o jogador receber o cartão amarelo, o mesmo continuou: “Seu filho da p..., você é um v..., dá vontade de meter um soco na sua cara, vagabundo. (Vou) te encher de porrada'", relatou Elmo.
Na súmula, o árbitro ainda relata a atitude de Luis Fabiano, que havia marcado o gol que dava a vitória por 1 a 0 para o São Paulo no Morumbi. "Estas palavras foram ditas num tom de voz bastante elevado, gritando, sendo que os jogadores da equipe do São Paulo foram conter e retirar o jogador expulso."
Luis Fabiano já havia recebido três cartões amarelos nos três primeiros jogos do Brasileirão. Ficou suspenso da partida contra o Santos e voltou diante do Atlético-MG. Agora, irá desfalcar a equipe também diante da Portuguesa, no próximo sábado, no Canindé.
PS: quando um árbitro está comprometido com a sua carreira e com a entidade que o escalou, suas tomadas de decisões são em consonância com as Regras do Jogo de Futebol e, por conseguinte, não "afina" e não tolera indisciplina. Aliás, a atuação de Elmo Alves Resende Cunha nesta partida foi perfeita.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Com 11 árbitros reprovados, São Paulo é o 2º pior teste físico do país!

A Federação Paulista de Futebol investe pesado na arbitragem e não mede esforços para disponibilizar vários profissionais de varias áreas para preparar da melhor maneira possível o seu quadro de árbitros. Os apitadores contam com o apoio de nutricionistas, medição regular da composição corporal, psicólogos, treinamento físico/técnico e uma equipe de preparadores físicos que além dos trabalhos realizados todas as semanas no campo do Nacional, fazem o acompanhamento on-line através de aparelhos de GPS dos treinamentos realizados de forma individual pelos árbitros. O resultado vem com o reconhecimento quando seus apitadores são requisitados para trabalharem nas principais partidas e finais de campeonatos em pelo menos 70% dos estados do País.

(Rodrigo Braghetto, profissional da arbitragem e top da federação paulista foi um dos reprovados. Foto: Julio Canceller - Anaf)

Mas toda essa estrutura disponível não foi o suficiente e o teste físico realizado nesta quinta feira (14) na pista do Complexo Esportivo Dr. Nicolino de Luca – (Bolão) em Jundiaí, demonstrou que assim como dentro de campo durante as partidas, na hora do temido teste físico, quem resolve é um ser humano, não uma máquina. A estrutura ajuda, aperfeiçoa, mas quem apita os jogos e que tem que fazer os 24 tiros de 150 metros com tempo de 40 segundos para cada tiro, com intervalo de 30 segundos de um tiro para o outro, são os árbitros.

Segundo informações não oficiais, houveram mais de 20% de reprovações, dos 47 árbitros que realizaram o teste, pelo menos 11 deles foram reprovados, entre eles Rodrigo Braghetto, Vinicius Furlan, Claudinei Foratti Silva, Regildênia Moura e Renata Ruel de Brito.

Modernissima pista de atletismo do Bolão em Jundiaí (Foto: Julio Canceller - Anaf).

Essas reprovações, mesmo com toda estrutura colocada a disposição pela Federação Paulista e mesmo tendo sido realizado o teste na moderníssima pista do Bolão, colocou o Estado de São Paulo como o segundo pior teste físico da CBF entre todos os Estados do país, só perdendo para o Estado de Alagoas. Mas em Alagoas o cenário e a estrutura disponibilizada aos árbitros são totalmente diferentes do que é disponibilizado aos paulistas. Na terra do ditador Hércules Martins, os árbitros não contam com nenhuma ajuda da Federação Alagoana, treinam por conta própria e por cima realizaram o teste na pista “cavalar” do 59° Bimtz onde os apitadores dividem com os cavalos o direito de usarem a pista. Em Alagoas houve cerca de 40% de reprovação, dos 16 participantes do teste, seis foram reprovados.

Pista "cavalar" do 59 Bimtz em Alagoas (foto divulgação).
O Blog do Marçal tentou contato com Arthur Alves Junior, membro da comissão de arbitragem da FPF e presidente do saindicato dos árbitros para maiores informações, porém não obteve sucesso no contato.

Fonte: Blog do Marçal/SP

Arbitragens de excelência

A arbitragem exige concentração, controle emocional, pleno domínio das Regras do Jogo de Futebol, condicionamento físico, bom posicionamento em campo, firmeza nas decisões e. sobretudo, imparcialidade e entusiasmo, diz a Fifa. Mas a entidade que controla o futebol no planeta, vai mais além: o árbitro para apitar bem deve sentir o jogo (fazer a leitura antes e durante a partida) para possibilitar um desenvolvimento natural do espetáculo que está dirigindo, somente interferindo para cumprimento das regras e, especialmente, do seu espírito que é punir o infrator.
Neste meio de semana tivemos três prélios decisivos. Palmeiras x Grêmio, São Paulo x Coritiba pela Copa do Brasil e Santos x Corinthians pela Libertadores. Nos confrontos nominados, tivemos a participação da trempe brasileira. Heber Roberto Lopes (Fifa/PR), Marcelo de Lima Henrique (Fifa/RJ) e Ricardo Marques Ribeiro (Fifa/MG) [foto], este o mais jovem árbitro da Fifa na atualidade.
 Em todos os jogos nominados os árbitros e assistentes que laboraram nas partidas descritas, foram perfeitos na interpretação e aplicação das leis do jogo que inclui os quesitos (tático, técnico, físico e psicológico) - com destaque especial para o magnífico desempenho de Ricardo Marques Ribeiro, que a meu ver com a impecável atuação no São Paulo 1 x 0 Coritiba, inseriu definitivamente o seu nome entre os árbitros top de linha da arbitragem nacional.
A arbitragem mineira e nacional ganharam na quinta-feira que passou, um árbitro que poderá ser a opção para a Copa do Mundo de 2014. Cumprimentos a Carlos Alarcón o mandachuva da arbitragem da Conmebol, a Sérgio Corrêa da CA/CBF e aos árbitros acima nominados pelas belíssimas atuações. Pergunto: por que não adotam no Brasileirão/2012 a mesma dinâmica de arbitragem exibida nas competições do meio de semana?

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Notícias do apito

Romam fez "forfait" (1)
A exemplo do ano passado quando não compareceu ao teste físico da Fifa/CBF na cidade de Londrina (PR), o árbitro Evandro Rogério Romam (foto), não compareceu ao teste aplicado pela CA/CBF na semana que passou em Londrina. É bom lembrar que em 2011, num caso "sui generis" na arbitragem Sul-americana, o árbitro em tela para não perder o escudo da Fifa, com o beneplácito da CA/CBF, foi submetido de fevereiro a setembro a quatro testes físicos.
Foto: Allan Costa 
Romam fez "forfait" (2)
Para esclarecer o leitor sobre o imbróglio, explico: nas competições da Fifa, da Conmebol e da Uefa, quando o árbitro ou um dos assistentes é reprovado no teste físico ou no teórico, o trio de arbitragem é desligado das competições sumariamente e ponto final.

Romam fez "forfait (3)
Quando se trata de competições dentro do seu próprio país, as associações, federações e confederações européias de futebol, cada uma de acordo com o seu regimento, concede ao árbitro ou assistente reprovado no teste físico/teórico uma segunda oportunidade e ponto final. Além disso, só se dá uma terceira oportunidade na Europa, em casos excepcionais. Portanto, não enganem o leitor.

Faltam dois anos (1)
A dois anos do início da Copa do Mundo, não se tem conhecimento de que a CBF tenha o arcabouço de um projeto que vise apresentar um trio de árbitros de excelência para a Fifa com vistas a Copa de 2014.

Faltam dois anos (2)
Embora a Conmebol e a Fifa tenham definido por ora, que Wilson Luis Seneme (Fifa/SP) é o árbitro pré-selecionado para o evento, é bom preparar no mínimo mais dois árbitros.

Faltam dois anos (3)
Em se tratando de apito, se algo acontecer com Seneme, pela ordem os nomes são: Leandro Pedro Vuaden (Fifa/RS) e Paulo Cesar de Oliveira (Fifa/SP). No que concerne aos assistentes/Fifa, o quadro está totalmente indefinido desde a Copa da África, quando Altemir Hausmann e Roberto Braatz fizeram uma dupla memorável.

A trave e o chip (1)
No próximo dia 6 de julho, o International Board, o único organismo no planeta que pode autorizar experimentos ou mudanças nas Regras do Jogo de Futebol, decidirá sobre a utilização do chip na bola, objetivando eliminar lances polêmicos e auxiliar a arbitragem a definir se a bola ultrapassa ou não na sua totalidade a linha de meta.

A trave e o chip (2)
O sistema funciona através de antenas, internet sem fio, radiofrequência e campo magnético nas traves e no travessão, e quando a bola ultrapassa a linha do gol na sua plenitude, o árbitro recebe em seu relógio de pulso, em no máximo meio segundo, o aviso eletrônico de que a pelota ultrapassou totalmente a linha do gol. Nos últimos anos, o tênis, o automobilismo, o turfe, o voleibol, o futebol americano implementaram a tecnologia com sucesso, visando equacionar equívocos da arbitragem, mas no futebol, segundo Joseph Blatter, presidente da Fifa, as decisões do árbitro, que é humano é o sal do futebol.

Parceria: federação x sindicato
A caminho de gramado (RS) - faço uma parada em Porto Alegre. Sou recepcionado pelo presidente do Safergs, Ciro Camargo. Pergunto a Ciro qual foi o milagre que fez o árbitro Leandro Pedro Vuaden (Fifa/RS) atingir o índice de massa corpórea exibido atualmente e quais foram as ações desenvolvidas para torná-lo novamente um árbitro top de linha. O presidente me explica que a Federação Gaúcha e o sindicato dos árbitros preocupados com o seu quadro de arbitragem, optaram em celebrar parcerias com empresas locais, que disponibilizam preparadores físicos, fisiologistas, nutricionistas, professor de inglês, ortopedista, psicólogo aos árbitros, em troca de patrocínio na indumentária dos árbitros. Bela idéia!

PS: e, por derradeiro, é bom lembrar que a CA/CBF divulgou o calendário de testes físicos/teóricos para todas as 27 federações estaduais nos primeiros dias de janeiro do ano em curso. O que desarma qualquer argumento de que não houve tempo suficiente para que os árbitros e assistentes se preparassem a tempo de encarar os testes.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Decisão sobre tecnologia sairá em 4 semanas

Decisão sobre tecnologia sairá em 4 semanas
© Getty Images
Daqui a quatro semanas, no dia 5 de julho, a International Football Association Board se reunirá em Zurique para uma assembleia especial. Em um momento histórico, a entidade de 127 anos de idade anunciará se aprovou em princípio a introdução da tecnologia da linha do gol.
Depois de nove meses de avaliações na Inglaterra, Alemanha, Hungria e Itália, ainda permanecem os sistemas de duas empresas: Hawk-Eye e GoalRef. Na véspera do dia que encerrará a segunda fase de testes, a GoalRef passou hoje por avaliações práticas na sede do clube alemão Nuremberg. Os testes de barreira de impacto foram monitorados não apenas por Rolf Staempli e Michael Koster do instituto independente EMPA, mas também por um grande grupo de jornalistas alemães e suíços.

A avaliação de impacto é somente um elemento da rigorosa análise da EMPA. Posicionada a seis metros do gol, uma máquina arremessa bolas na direção de uma barreira com dimensões semelhantes às de um goleiro (1,90 m de altura). Com o objetivo de determinar a precisão dinâmica da tecnologia, a barreira começa na frente da linha do gol e depois é movida gradualmente para trás, até estar finalmente atrás da linha.
A bola bate na barreira de impacto em velocidades entre 50 e 120 km/h, com câmeras de alta definição verificando se ela cruzou a linha ou não. Se o arremesso resulta em gol, um sinal vibratório e visual é enviado em menos de um segundo ao relógio dos avaliadores.

O gerente de comunicação e relações públicas da GoalRef, Rene Dunkler, explicou o sistema aos jornalistas presentes e para o
FIFA.com. "O nosso sistema funciona em cada meta, com dez antenas plastificadas montadas nos postes e no travessão. Parcialmente abaixo do solo, um transmissor está conectado a um processador. Três bobinas eletrônicas ficam dentro da bola, entre a bexiga e os painéis. Quando a bola entra no gol, o sistema de antenas é ativado e movimenta o processador. Assim que o campo magnético é cruzado, sinalizando um gol, um sinal de radiofrequência sem fio é transmitido ao relógio do árbitro. Acreditamos que podemos fazer tudo isso em menos de meio segundo."

"Imagine um lago sem vento, com a água completamente parada", prosseguiu, fazendo uma comparação. "Então, se começa a chover, o primeiro pingo perturba a superfície da água. Ao atravessar o campo magnético, a bola 'perturba' o nosso sistema, e nós podemos identificar que ela cruzou a linha do gol." Os testes em Nuremberg continuarão nesta noite sob luz artificial e serão concluídos amanhã em um jogo-treino. 
 

"Ao atravessar o campo magnético, a bola "perturba" o nosso sistema, e nós podemos identificar que ela cruzou a linha do gol"

Rene Dunkler, gerente de comunicação e relações públicas da GoalRef


Do handebol ao futebol
A dinamarquesa GoalRef se originou de um sistema desenvolvido para a Federação Internacional de Handebol. Inicialmente com progresso limitado por causa da falta de apoio financeiro, ela começou a trabalhar com a organização alemã Fraunhofer IIS em 2011 e entrou na primeira fase de testes já em fevereiro do ano passado. A Fraunhofer agora é a principal parceira dos inventores da tecnologia. A empresa também está atualmente estudando soluções para aplicação em futsal e showbol.


"A Fraunhofer IIS faz parte de uma organização com 60 diferentes institutos, e todos nós somos organismos de pesquisa aplicada", explicou Ingmar Bretz, chefe de projeto da GoalRef. "Desenvolvemos produtos e depois os licenciamos. Também trabalhamos com desenvolvimento de produtos, desenvolvendo tecnologias para diferentes empresas. Um dos nossos mais conhecidos sucessos é o MP3, que foi desenvolvido na nossa sede em Erlangen."



Fonte: Fifa 

Árbitro da final estadual é reprovado pela CBF

Diogo Souza
Allan Costa Pinto
Adriano Milczvski alegou uma contusão na realização do teste físico.
Árbitro escolhido para comandar a final do último Campeonato Paranaense, Adriano Milczvski foi reprovado em um teste físico realizado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), na última terça-feira, em Londrina, sede das avaliações.

O paranaense alegou uma contusão na realização do teste de velocidade, que consiste em 6 tiros de 40 metros e 20 de 150 metros. Além dele, Rafael Traci, outro árbitro do estado, também acabou sendo reprovado.
Evandro Rogério Roman, que chegou a fazer quatro testes no ano passado, não compareceu às avaliações desta semana, alegando compromissos particulares. Em entrevista ao Paraná Online, o ex-árbitro Valdir de Córdova Bicudo considerou inadimissível a atitude dos juízes.
"Por isso que a arbitragem paranaense caminha pro fundo do poço. O Roman ficou de janeiro a setembro do ano passado fazendo testes. É uma vergonha pra comissão de arbtriagem da CBF, um desprestígio para os ábitros preparados.