quinta-feira, 30 de junho de 2011

Argentina: Educação continuada

Foto: Revista/Árbitro

Durante cinco dias, os árbitros e assistentes que irão dirigir as partidas da Copa América foram submetidos a um Seminário de Arbitragem de Alto Nível no Instituto Cristal, na cidade de Córdoba (Argentina), uma das sedes da competição. O objetivo é o de garantir que os selecionados do Dr. Carlos Alarcón(foto), o presidente da Comissão de Arbitragem da Conmebol, já entrassem no clima da competição que começa nesta sexta-feira, com a partida Argentina x Bolívia.

O seminário teve como palestrantes os membros do Programa Fifa/RAP, Cristian Rosen (preparador físico da Conmebol) e o ex-árbitro Oscar Ruiz (Colômbia). Também participaram do seminário os instrutores de arbitragem da Conmebol, Carlos Alarcón, Armando Marques, Juan Carlos Lostau, Alberto Tejada e Rodolfo Otero.

O objetivo precípuo do seminário teve como escopo a requalificação dos árbitros e assistentes. Foi discutido o posicionamento do árbitro nas chamadas “zonas negras” do campo de jogo, ou seja, regiões onde estatisticamente ocorrem diferentes incidentes e o posicionamento usual não permite a sua visualização. Outro aspecto discutido exaustivamente foi o trabalho em equipe como: atuação do assistente, comunicação corporal e visualização. Discutiu-se também a utilização da bandeira pelos assistentes e o posicionamento do árbitro no campo de jogo, abandonando a clássica diagonal e posicionando-se mais próximo dos acontecimentos.

Além disso, foram realizados vários exercícios com interpretação de jogadas e treinamento de faltas nas proximidades da área penal, com o auxílio do assistente para indicar se a infração foi dentro ou fora da área. Foram exibidos DVDs com lances e discutidos onde foi constatado dificuldades de interpretações, dando ênfase aos motivos pelos quais não estavam corretos. Também foram realizadas algumas críticas e muitas orientações foram repassadas aos árbitros participantes do seminário. Outro tema que gerou várias discussões foi a aplicação, ou não, dos cartões amarelo e vermelho, se foi falta ou simulação. Os instrutores concluíram o seminário afirmando que o posicionamento e a concentração são fundamentais para o acerto nas tomadas de decisões no campo de jogo.

PS: Diante do que se discorreu acima, surge como fato verdadeiro que os dirigentes do futebol mundial, agora de forma mais especial na América do Sul, entenderam que o árbitro de futebol tem que ser submetido à educação continuada. Isso representa não apenas um seminário às vésperas de qualquer torneio, mas algo que deve suceder sempre e sempre, pois só quem estuda cotidianamente a matéria se torna em relação à mesma um “sábio”, o que não acontece com a maioria quase absoluta dos árbitros que atuam em nosso país. O que está acontecendo agora na Argentina deveria ser um modelo a ser copiado e intensificado nos meios futebolísticos brasileiro. Mas o nosso cartola nunca quis entender essa verdade que tem como padrão o crédito de um ensinamento de nível superior.

Definidos os apitos da primeira rodada da Copa América

Divulgação

Argentina x Bolivia - Grupo A
La Plata, 01.07.2011 - 21.45hs.
Árbitro: Roberto Silvera (Fifa/URU)
Árbitro assistente: Miguel Nievas (URU)
Árbitro assistente: Luis Alvarado (ECU)
4º Árbitro: Carlos Vera (ECU)

Colombia x Costa Rica - Grupo A
Jujuy, 02.07.2011 - 15.30hs.
Árbitro: Enrique Osses (Fifa/CHI)
Árbitro assistente: Francisco Mondria (CHI)
Árbitro assistente: Nicolás Yegros (PAR)
4º Árbitro: Antonio Arias (PAR)

Brasil x Venezuela - Grupo B
La Plata, 03.07.2011 - 16.00hs.
Árbitro: Raúl Orosco (Fifa/BOL)
Árbitro assistente: Efráin Castro (BOL)
Árbitro assistente: Marvin Torrente (MEX)
4º Árbitro: Francisco Chacón(MEX)

Paraguai x Ecuador - Grupo B
Foto: Ramiro Pereyra
Santa Fe, 03.07.2011 - 18.30hs.
Árbitro: Sergio Pezzotta (Fifa/ARG)
Árbitro assistente: Ricardo Casas (ARG)
Árbitro assistente: Luis Abadie (PER)
4º Árbitro: Víctor River (PER)

Uruguai x Perú - Grupo C
Wilmar Roldán, ao centro
     Revista/Árbitros
San Juan, 04.07.2011 - 19.15hs.
Árbitro: Wilmar Roldán (Fifa-COL)
Árbitro assistente: Humberto Clavijo (COL)
Árbitro assistente: MAIDANA Hernán Maidana (ARG)
4º Árbitro: Salvio Fagundes (BRA)

Chile x México - Grupo C
Juan Soto, com a bola.- Foto: Alianza Corazón
San Juan, 04.07.2011 - 21.45hs.
Árbitro: Juan Soto (Fifa-VEN)
Árbitro assistente: Luis Sánchez (VEN)
Árbitro assistente: Leonel Leal (CRI)
4º Árbitro: Walter Quesada (CRI)

Uefa anuncia nova nomenclatura do comitê de Arbitragem

A Uefa, entidade que controla o futebol europeu, anunciou nesta quarta-feira a nova lista e os nomes dos membros que irão compor os 19 comitês da entidade para o período de 1º de julho de 2011 à 30 de Junho de 2013. Esses comitês são responsáveis pela aplicação das diversificadas  metodologias  que regem o futebol no Velho Continente. Me chamou a atenção a composição e  as atribuições  do Comitê de Arbitragem da Uefa, e acredito que vários itens abaixo elencados poderiam ser implementados de acordo com as peculiaridades de cada federação estadual e, sobreutdo, da CBF. Confira abaixo.

O Comitê de Arbitragem é composto por um presidente e um presidente-adjunto (em regra, membros do Comitê Executivo) e do número de vice-presidentes e/ou membros ordinários considerados necessários para o bom funcionamento do comité.
O Comité de Arbitragem:
a) nomeia árbitros para as competições da UEFA, em cooperação com a administração da Uefa;
b) avalia e elabora as classificações de árbitros e árbitros-assistentes;
c) conduz um programa de desenvolvimento para instruir e educar os árbitros, árbitros-assistentes, árbitros de futsal, instrutores e observadores de árbitros, de modo a assegurar a aplicação correcta, uniforme e consistente das Leis de Jogo;
d) identifica e apoia árbitros internacionais promissores;
e) representa a Uefa perante as federações membro em assuntos de arbitragem;
f) desenvolve a arbitragem nas federações que compõem a Uefa através da implementação da Convenção da Uefa sobre Educação e Organização de Árbitros (daqui em diante Convenção de Árbitros);
g) estuda propostas do Painel de Convenção de Árbitros;
h) estuda alterações propostas às Leis de Jogo;
i) propõe membros para a lista de instrutores de árbitros, observadores e Painel de Convenção de Árbitros.
Para levar a cabo o seu programa de desenvolvimento, o Comitê de Arbitragem é composto pelos quatro sub-comitês seguintes:
a) Sub-comitê para a Nomeação de Árbitros;
b) Sub-comitê para Instrução e Educação (com especialistas para árbitros de futebol masculino, feminino, futsal e árbitros-assistentes);
c) Sub-comitê para Mentores de Árbitros e Talentos;
d) Sub-comitê para Observadores de Árbitros.
O Comitê de Arbitragem estabelece um grupo de trabalho composto por especialistas técnicos (treinadores de futebol e/ou antigos jogadores), de modo a aconselhar o Comitê de Arbitragem na aplicação das Leis de Jogo.
O Comitê de Arbitragem é apoiado no seu trabalho pelos Instrutores de Árbitros, os Observadores de Árbitros, o Painel de Convenção de Árbitros e o Painel Consultivo de Árbitros.
Fonte: Uefa.com

Rio e Brasil recebem o mundo em 30 dias

Foto-net
O Rio de Janeiro e o Brasil estão se preparando para se apresentar ao mundo na ocasião do Sorteio Preliminar para a Copa do Mundo da FIFA 2014™, em 30 de julho de 2011. O Sorteio Preliminar será o primeiro evento da Copa do Mundo da FIFA de magnitude global em solo brasileiro associado à edição de 2014.
A Marina da Glória, no Rio de Janeiro, servirá como cenário perfeito para um espetáculo que irá atrair milhões de espectadores de todo o mundo. Uma audiência recorde é esperada para esse importante evento, marcando o início da ida ao Brasil para os remanescentes 175 dos 203 times que irão participar das eliminatórias.
O sorteio celebrará o retorno da Copa do Mundo ao Brasil após 64 anos. A transmissão televisiva ao vivo de 95 minutos (15h em horário local, 20h na Europa Central) será uma prévia daquilo que os fãs podem esperar para 2014, com ritmos e sabores brasileiros. O espetáculo será dirigido pelo diretor brasileiro Aloysio Legey, sendo o programa de transmissão mundial comandado pelo produtor Luiz Gleiser, da TV Globo. Uma seleção de famosos artistas brasileiros para entreter a audiência será anunciada em breve pelos produtores.
O Sorteio Preliminar ilustra de maneira perfeita como uma Copa do Mundo da FIFA tem a capacidade de unir o mundo, como em nenhum outro evento.  Dentre os participantes esperados da cerimônia estão membros de delegações de cerca de 100 associações-membro da FIFA, quase 800 representantes da imprensa de todo o mundo e uma audiência de cerca de 2.000 pessoas, incluindo celebridades da política, do esporte e da indústria de entretenimento.
O secretário-geral da FIFA, Jérôme Valcke, irá conduzir os sorteios para todas as zonas de eliminatórias com exceção da América do Sul, que irá disputar as eliminatórias de acordo com um formato de liga. Os sorteios irão contar com convidados que estão dentre os grandes nomes do futebol brasileiro de hoje, ontem e amanhã, a serem anunciados oportunamente.
No total, 166 associações-membro participantes, provenientes de cinco zonas de eliminatórias (África, Ásia, Europa, América do Norte, Central e Caribe e Oceania), irão descobrir quem se enfrentará na disputa por uma das 31 vagas disponíveis na Copa do Mundo da FIFA 2014, no Brasil, em junho e julho de 2014.
Fonte: Fifa.com

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Federação Portuguesa perdeu 500 mil euros

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) não conseguiu nos últimos anos arrecadar as verbas que a UEFA distribui anualmente para formação no sector da arbitragem.



O organismo que tutela o futebol europeu oferece, desde 2006, uma verba de 200 mil euros no primeiro ano e 100 mil nas temporadas seguintes às federações que abraçaram todos os regulamentos exigidos pela sua convenção. Mas a FPF ficou de fora: tentou aderir no início da temporada de 2007, mas o pedido foi recusado por não obedecer a duas regras: não possuir um conselho de arbitragem único e o acesso por parte dos clubes aos relatórios dos observadores dos árbitros. Por causa disto, meio milhão de euros não entraram nos cofres federativos.


''Infelizmente não aproveitámos verbas a que poderíamos facilmente ter acesso e que ajudariam a formação da arbitragem", reconheceu ao PÚBLICO o presidente do Conselho de Arbitragem da FPF, Carlos Esteves, que já há dois anos avisou a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) de que a UEFA não permitia a divulgação dos relatórios dos observadores dos árbitros. O certo é que ainda hoje os clubes continuam a ter acesso aos relatórios, desde que manifestem interesse.


Contactado pelo PÚBLICO, o actual presidente da comissão de arbitragem da LPFP, Vítor Pereira, assegurou que "esta será a última temporada em que isso acontece, até porque já foi explicado aos clubes que a prática é contrária aos regulamentos da UEFA". Vítor Pereira sublinha que com a entrada em vigor dos novos estatutos federativos a arbitragem será unificada e, tal como já acontece na Taça de Portugal, os clubes deixam de ter acesso por completo aos relatórios dos observadores dos árbitros.
A avaliação dos juízes é um dos temas que poderá mudar depois da aprovação, anteontem, em Assembleia Geral da Liga de uma experiência-piloto, em que além dos relatórios dos observadores, passa a existir também o recurso ao visionamento de imagens televisivas para avaliar os árbitros, ainda que este último parâmetro não tenha, esta época, peso na classificação final. "Sou a favor desta experiência que, ao não ter peso na classificação, permite ir vendo o que está bem e mal e mudando. No final da temporada tiramos ilações. As boas e as negativas", explicou Vítor Pereira sobre uma medida que Guilherme Aguiar, ex-director executivo da Liga, também já tinha proposto em 2002.


O presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol também concorda, desde que todos os árbitros sejam avaliados equitativamente. "A Liga terá de definir o número de câmaras presentes em todos os jogos que contam para a observação dos árbitros", diz Luís Guilherme.
Fonte: O Publico



terça-feira, 28 de junho de 2011

Portugal aprova avaliação mista para a arbitragem

Os clubes e SAD’s que disputam as competições profissionais entenderam hoje, por larga maioria e em muitos casos por unanimidade, que a Liga deveria mudar de atitude em relação a quatro matérias essenciais. Primeiro, na busca de normas que passem uma mensagem de responsabilidade e serenidade para todos os adeptos que gostam de ir aos estádios.

Assim, a partir da próxima época, um clube cujo adepto ou simpatizante tenha provocado, por arremesso de objectos passiveis de provocar lesão de especial gravidade nos intervenientes do jogo e que obriguem esse jogo a estar interrompido mais que cinco minutos, serão punidos de imediato com a realização de um a três jogos à porta fechada.
E porquê à porta fechada? Entendeu-se que a interdição do recinto desportivo poderia, em alguns casos, não punir ou até beneficiar o prevaricador, nomeadamente em clubes com grandes massas adeptas.
A única forma de penalizar esses adeptos e esses clubes, é, de facto, proibir, desta forma, os adeptos, de irem ver o jogo, porque o jogo será à porta fechada.
Como Presidente da Liga, não desejo que esta sanção seja aplicada NUNCA. Pelo contrário, desejo que o facto de ela estar incluída nos regulamentos seja suficientemente dissuasor de cada adepto que pense ou ouse, um dia, tentar provocar actos desta natureza.
Em segundo lugar, os clubes decidiram penalizar fortemente as declarações contra elementos da equipa de arbitragem desde a sua nomeação até à hora do jogo. A penalização para esta infracção subiu cinco vezes.
É um magnífico sinal de noção de grupo, que os clubes mostram e de defesa da indústria do futebol profissional.
Deve também ser entendido como uma ainda maior responsabilidade para o sector da arbitragem, que desejamos cada vez mais competente. Com esta medida não pretendemos impor o silêncio de ninguém, antes defender a imagem das competições profissionais de futebol.
Em terceiro lugar, os clubes profissionais decidiram separar claramente o que é a fase de inquérito disciplinar, daquilo que é a avaliação e decisão por parte da Comissão Disciplinar.
Buscamos competência e celeridade processual e uma cada vez maior transparência na instrução e decisão dos processos. Queremos saber quem faz o quê num processo disciplinar. Nenhuma medida que aumente a transparência é demasiada. Nenhuma.
Em quarto e último lugar, os clubes aceitaram iniciar, já na próxima época, um projecto piloto que vai permitir que, ainda sem efeitos na classificação, os árbitros possam ser alvo de avaliação mista, com recurso a registo audiovisual.
Esta é a nossa resposta, ainda que em fase de teste, à sublinhada crítica do peso dos observadores no sector da arbitragem, sendo estes, na maioria das vezes, menos qualificados do que o árbitro que estão a avaliar. A unanimidade dos clubes nesta matéria, foi particularmente gratificante.
São quatro pontos de um vasto conjunto de intervenções que decidimos propor, no âmbito de uma profunda renovação do nosso edifício regulamentar, que propus nesta sala, no dia 7 de Junho do ano passado, no momento da nossa tomada de posse.


Fonte: LPFP/REFEREETIP

Árbitro foi ameaçado de morte

Foto: Diário Crônica e La Voz da Argentina

O árbitro que apitou a final da Copa Libertadores da América, entre Santos x Penharol, no Pacaembu, Sergio Pezzotta (foto-Fifa-Argentina), e no último domingo dirigiu o célebre jogo, River Plate 1 x 1 Belgrano, no Monumental de Nunez , quando o River foi rebaixado para a Série B do certame argentino, relatou no seu relatório a (AFA) - Associação de Futebol Argentino, que foi ameaçado de morte no intervalo da nominada partida, por torcedores que invadiram o túnel que dá acesso ao vestiário onde estava o quarteto de arbitragem. A expressão usada pelos invasores foi: você não sairá vivo daqui se o River Plater cair.
Pezzota, diante das ameaças recebidas, chamou o chefe do policiamento e solicitou reforço para toda a equipe de árbitros. Na súmula, o indigitado árbitro afirmou que suspendeu a partida aos 44' da etapa final por falta de segurança.
PS (1): Sergio Pezzota, está participando na cidade de Córdoba (Argentina), do seminário de alto nível, que está sendo ministrado pela Conmebol e a Fifa para os árbitros que irão laborar na Copa América a partir do próximo dia 1º de julho.
PS (2): Via mídia argentina, o Apito do Bicudo, está acompanhando todo o histórico de ameaças de morte, que foram e continuam sendo perpetradas por torcedores contra o árbitro da Fifa, Sergio Pezzotta, e agora também contra seus familiares, que residem na cidade de Rosário. As ameaças de morte contra a vida de Pezzotta, tiveram início no intervalo da partida River Plate x Belgrano, realizada no último domingo, quando um grupo de doze torcedores, conseguiu adentrar ao túnel que dá acesso ao vestiário da arbitragem e de dedo em riste lhe disseram: se o River não ganhar a partida, vocês, referindo-se ao árbitro e seus assistentes sairão mortos do estádio.
Na manhã de hoje, o presidente do Sindicato dos Árbitros de Futebol da Argentina, Guillermo Marconi, ao qual está filiado Sergio Pezzotta, condenou as ameaças que vem sofrendo o nominado apitador, e criticou a polícia platina, que desapareceu assim que o árbitro foi ameaçado. Marconi também anunciou que diante da gravidade da situação, a partir da hoje, o sindicato irá contratar seguranças para o árbitro e seus familiares.
Fonte: Diário Crônica e La Voz da Argentina

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Liga vota hoje avaliação dos árbitros com recurso a imagens dos jogos

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) pretende testar, durante a época 2011/12, um sistema inédito  de avaliação mista da arbitragem, juntando as imagens televisivas ou gravadas aos relatórios dos Observadores de Arbitragens, disse à Agência Lusa fonte ligada ao processo.
O Projecto Piloto de Avaliação Mista para a Arbitragem é a novidade proposta para alteração ao regulamento de Arbitragem, que será escrutinado na Assembleia Geral extraordinária, que decorrerá na sede da iga Portuguesa de Futebol Profissional, no Porto, hoje (27/06/2011), às 14:30.
O projecto prevê que todos os jogos das duas ligas profissionais sejam submetidos a esse processo de avaliação mista, feita com recurso aos relatórios dos observadores - tal como já acontece - e às imagens televisivas, sejam elas dos meios de comunicação social ou captadas pelos próprios clubes.
Em caso de aprovação posterior do procedimento a testar, e se os resultados forem considerados positivos, a observação mista passará a constar de forma efectiva no regulamento de arbitragem a partir da temporada 2012/13.
Na prática, terão lugar duas avaliações e tentar-se-à reduzir ao máximo o grau de subjectividade e de erro das avaliações dos árbitros e assistentes nas partidas.
A mesma proposta prevê que sejam aceites as imagens dos jogos produzidas pelos próprios clubes quando os jogos dos mesmos não forem televisionados.
Na agenda de trabalhos serão ainda apreciadas, discutidas e votadas outras propostas de alteração aos regulamentos de Competição, Arbitragem e Disciplina, que vão integrar normas mais rígidas, nomeadamente as punições pelo arremesso de objectos dentro do campo de jogo, o que poderá levar à interdição dos estádios.
 
Fonte: Renascença/Refereetip

Raio-X da arbitragem


Foto: Federação Paraense de Futebol 
Os vários cursos de aprimoramento ministrados pela CA/CBF, nos últimos cinco anos na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), começam a apresentar resultados. E eles são positivos não só a CA/CBF, que se vê recompensada do seu empreendedorismo, mas sobretudo à confraria do apito nacional. Digo isso, porque ao final da sexta rodada do Brasileirão/11, Série A, não há nenhum equívoco de maior monta que tenha proporcionado prejuízos técnicos ou disciplinares às equipes que disputam o maior campeonato de futebol do planeta.

Antonio Carvalho Schneider (CBF-1), realizou uma belíssima arbitragem no Atlético/PR 0 x 2 Bahia. Jogo dificílimo, que exigiu muita psicologia da arbitragem nas tomadas de decisões. Heber Roberto Lopes (Fifa/PR), Wilson Seneme (Fifa/SP), Fabricio Neves Correa (RS), Marcelo de Lima Henrique (Fifa/RJ), Jailson Macedo de Freitas (CBF-1), apitou com muita personalidade, Botafogo/RJ 2 x 1 Grêmio/RS, Luiz Flavio de Oliveira (Asp/Fifa) e Rodrigo Braghetto (CBF-1),desenvolveram trabalho similar. Na Série B, o nível qualitativo das arbitragens das partidas que vi pela TV , com algumas exceções também é muito bom. Destaque para Anderson Daronco (RS), Dewson Fernando Freitas (foto-PA), Guilherme Ceretta de Lima (SP), Jean Pierre de Lima (RS) e Vinicius Furlan (SP).
 PS: a sugestão de implementar um sistema de avaliação mista nas partidas apitadas pelos árbitros em Portugal, na temporada 2011/2012, em caráter experimental, ou seja, além do Observador de Árbitros serão acopladas imagens da TV, deve ser vista como um avanço e vai melhorar substancialmente o desempenho do árbitro nas tomadas de decisões no campo de jogo e, por extensão, evitar possíveis injustiças dos clubes contra os apitadores. Uma ótima sugestão que deveria ser acatada pela CA/CBF.

Liga vota hoje avaliação dos árbitros com recurso a imagens dos jogos

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) pretende testar, durante a época 2011/12, um sistema inédito de avaliação mista da arbitragem, juntando as imagens televisivas ou gravadas aos relatórios dos Observadores de Arbitragens, disse à Agência Lusa fonte ligada ao processo.

O Projecto Piloto de Avaliação Mista para a Arbitragem é a novidade proposta para alteração ao regulamento de Arbitragem, que será escrutinado na Assembleia Geral extraordinária, que decorrerá na sede da iga Portuguesa de Futebol Profissional, no Porto, hoje (27/06/2011), às 14:30.
O projecto prevê que todos os jogos das duas ligas profissionais sejam submetidos a esse processo de avaliação mista, feita com recurso aos relatórios dos observadores - tal como já acontece - e às imagens televisivas, sejam elas dos meios de comunicação social ou captadas pelos próprios clubes.
Em caso de aprovação posterior do procedimento a testar, e se os resultados forem considerados positivos, a observação mista passará a constar de forma efectiva no regulamento de arbitragem a partir da temporada 2012/13.
Na prática, terão lugar duas avaliações e tentar-se-à reduzir ao máximo o grau de subjectividade e de erro das avaliações dos árbitros e assistentes nas partidas.
A mesma proposta prevê que sejam aceites as imagens dos jogos produzidas pelos próprios clubes quando os jogos dos mesmos não forem televisionados.
Na agenda de trabalhos serão ainda apreciadas, discutidas e votadas outras propostas de alteração aos regulamentos de Competição, Arbitragem e Disciplina, que vão integrar normas mais rígidas, nomeadamente as punições pelo arremesso de objectos dentro do campo de jogo, o que poderá levar à interdição dos estádios.


Fonte: Renascença/Refereetip

sábado, 25 de junho de 2011

Seminário de alto nível

Teve início neste sábado, no Instituto Cristal, na cidade de Córdoba (Argentina), o Seminário de Alto Nível, elaborado pela Conmebol em conjunto com a Fifa, para os trinta e seis árbitros selecionados pela Comissão de Arbitragem da Confederação Sul-Americana de Futebol. O   objetivo precípuo do seminário, visa requalificar os árbitros e assistentes que, irão laborar na Copa América, que será realizada no período de 1º à 24 de julho próximo, na Argentina.
 Foto: Hugo Allende - árbitros da Copa América
Além da presença do Dr. Carlos Alarcón, presidente da Comissão de Árbitros da Conmebol e membro do Comitê de Arbitragem da Fifa,  o seminário em tela terá como instrutores, o ex-árbitro Fifa, Oscar Ruiz (Colômbia) e o argentino Cristian Rosen, como preparador físico. A arbitragem brasileira está representada pelo árbitro, Sálvio Spínola Fagundes (Fifa-SP) e o assistente Marcio Eustáquio Santiago (Fifa-MG).  

Fonte: La Voz (CÓRDOBA/ARGENTINA)

Euforia na estreia alemã

Euforia na estreia alemã
Getty Images
Finalmente chegou o momento que todos esperavam. Neste domingo, a Alemanha, anfitriã e atual bicampeã da Copa do Mundo Feminina da FIFA, estreia diante da sua própria torcida no Olympiastadion de Berlim contra a seleção do Canadá. As alemãs querem aproveitar o clima de euforia para conseguir um bom resultado na partida de abertura, mas sabem que não podem subestimar as garotas canadenses. Afinal, a equipe comandada pela técnica Carolina Morace foi campeã das eliminatórias da América do Norte, Central e Caribe.
O jogo
Alemanha x Canadá, domingo, 26 de junho, Berlim, 18h (17h em Lisboa, 13h em Brasília)

 Foto: Revista Árbitro - Jacqui Melksham - Fifa/Austrália - Apita, Alemanha x Canada, partida inaugural do Mundial Feminino na Alemanha.
Em cena
As estatísticas estão todas a favor da Alemanha: em nove confrontos contra o Canadá até hoje, as alemãs venceram todos. No último deles, um amistoso em Dresden em setembro de 2010, Birgit Prinz e Cia. aplicaram uma goleada por 5 a 0. Por outro lado, a seleção comandada pela excepcional atacante Christine Sinclair não poderia estar mais motivada para começar a reverter o saldo negativo. Esta talvez seja a geração mais forte até hoje do paí s, que está na sexta colocação do Ranking Mundial Feminino da FIFA/Coca-Cola. Já o selecionado germânico terá a missão de corresponder às altas expectativas da sua torcida, até porque venceu os cinco amistosos que disputou como preparação para o torneio, marcando um total de 23 gols sem levar nenhum.
A partida promete ser interessante tanto tática quanto tecnicamente. As anfitriãs contam com uma combinação de jovens talentos, como a meio-campista Kim Kulig, e craques consagradas e experientes, como a maior artilheira da história da Copa do Mundo Feminina da FIFA, Birgit Prinz, e deverão partir com tudo para cima das canadenses. No entanto, o Canadá, que passou por uma mudança de estilo sob o comando de Morace, é uma seleção muito organizada na defesa e forte também no setor ofensivo graças à rapidez das suas atacantes. No aspecto físico, os dois países estão no mesmo nív el. É muito possível que o fator decisivo nesse jogo seja o talento individual.
A Alemanha não poderá contar com Martina Müller, contundida. A atacante está se recuperando de uma distensão na coxa esquerda.
O número
0 —
Nas partidas de abertura das cinco edições anteriores da Copa do Mundo Feminina da FIFA, não aconteceu nenhum empate. Além disso, a equipe derrotada nunca conseguiu marcar um gol na estreia.
O que elas disseram
"O Canadá tem uma equipe muito perigosa. A técnica Carolina Morace certamente deve ter levado a mentalidade e o estilo de jogo europeus à seleção canadense. As garotas canadenses jogam com coragem e com muita raça. Além disso, elas têm a Christine Sinclair, uma atacante extremamente rápida que está entre as melhores do mundo." Ariane Hingst, zagueira da Alemanha, em entrevista exclusiva ao FIFA.com
"A partida de abertura será um daqueles jogos dos quais você se lembra até uns dez ou 15 anos depois e fica pensando no quanto foi incrível participar. Por um lado, estou nervosa e emocionada. Por outro lado, mal consigo acreditar que o futebol feminino cresceu tanto. Cerca de 75 mil pessoas devem vir para nos verem jogar. É inacreditável!" Christine Sinclair, atacante do Canadá, em entrevista exclusiva ao FIFA.com

Blatter: "Será um torneio incrível"

Blatter: "Será um torneio incrível"
Getty Images
Faltando um dia para a partida de abertura da Copa do Mundo Feminina da FIFA Alemanha 2011 entre a anfitriã e o Canadá, a FIFA e o Comitê Organizador Local (COL) organizaram uma conferência de imprensa.
Na ocasião, foram ouvidos o presidente da FIFA, Joseph S. Blatter, a presidente do COL, Steffi Jones, a diretora de futebol feminino da FIFA, Tatjana Haenni, o presidente do Comitê de Futebol Feminino e da Copa do Mundo Feminina da FIFA, Worawi Makudi, e o membro do Comitê Executivo da FIFA, Michel D’ Hooghe. O FIFA.com resume as questões mais importantes abordadas nas entrevistas.
Joseph S. Blatter, presidente da FIFA
"Eu gostaria de agradecer de coração pelo interesse que vocês estão atraindo para a Copa do Mundo Feminina da FIFA 2011. A importância do evento será maior pelo fato de o jogo de abertura ser realizado no Estádio Olímpico de Berlim completamente lotado — assim como na final da Copa do Mundo da FIFA 2006. Estou contente por estar aqui e por ter a honra de poder dar início ao Mundial Feminino amanhã ao lado do presidente da Federação Alemã de Futebol, Christian Wulff, e de Steffi Jones."

Sobre a Alemanha como sede da Copa do Mundo Feminina da FIFA
"A Copa do Mundo Feminina da FIFA 2011 será um marco na evolução do futebol feminino. Por quê? Porque o Mundial acontecerá na Alemanha, um país no centro do futebol europeu masculino. Será um torneio excepcional. É bom para o futebol feminino do mundo todo que as mulheres possam estar no centro do palco em uma nação onde o futebol dos homens tem uma importância tão grande. Estou convencido de que veremos um futebol de alto nível e um ótimo rendimento das árbitras."

Sobre o potencial do futebol feminino
"O potencial do futebol feminino está nas jovens. Precisamos começar a trazer as meninas ainda pequenas para o futebol, assim como acontece com os garotos, na idade de quatro, cinco ou seis anos. As garotas também conseguem. Sou proveniente do pequeno cantão de Wallis e lá já existem escolinhas de futebol para essas idades. Além disso, temos de criar mais ligas nacionais para que as mulheres tenham as mesmas condições dos homens. Muitas das nossas 208 federações já têm seleções femininas, inclusive sub-17 e sub-20, mas ainda não têm um campeonato nacional. Precisamos nos concentrar nisso."

Sobre o valor dos prêmios em dinheiro no futebol feminino
"Eu próprio fico surpreso de que o valor não seja mais alto. Vou abordar essa questão com a comissão de finanças. A situação parece positiva."

Sobre o número de jogos da Alemanha 2011 que Blatter acompanhará ao vivo
"Estarei presente na partida de abertura, nas semifinais e na final. Infelizmente, não poderei acompanhar mais jogos ao vivo. Se observarmos o calendário do futebol, veremos que há vários torneios acontecendo ao mesmo tempo. Em julho, participarei de uma reunião do COI (Comitê Olímpico Internacional) em Durban. Além disso, está sendo realizada atualmente a Copa do Mundo Sub-17 da FIFA no México e em algumas semanas começará a Copa do Mundo Sub-20 da FIFA na Colômbia."

Steffi Jones, presidente do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo Feminina da Fifa 2011
"A euforia pela Copa do Mundo Feminina da FIFA é muito grande. Estou arrepiada, porque amanhã finalmente será dado o pontapé inicial. Todos estão concentrados na Copa do Mundo, que se iniciará amanhã com a partida entre Nigéria e França. O estádio estará praticamente lotado. Há apenas 200 ou 300 ingressos que não foram vendidos. Isso mostra que o Mundial Feminino realmente chegou ao país inteiro. No total, 720 mil ingressos foram vendidos. E venderemos ainda mais."

Sobre a partida de abertura no domingo
"O palco está montado. Já pude ver como será parte da festa de abertura e preciso dizer que a emoção é grande e estou feliz pelo fato de o torneio se iniciar amanhã. E o tempo também está contribuindo."

Sobre o aspecto técnico
"Estamos na expectativa para ver como será o aspecto técnico, para ver os dribles e para saber qual jogadora será a craque do Mundial ou do seu respectivo país. Na condição de anfitriã neutra, posso dizer: que vença o melhor!"

Sobre a colaboração com a Fifa
"Agradeço à Fifa e ao seu presidente. Foi um excelente trabalho em conjunto. Tive todo o apoio desde o primeiro dia. E a turnê de boas-vindas nos deu a oportunidade de contribuir um pouco para o desenvolvimento do futebol feminino."


Fonte: Fifa.com

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Tagliavento dirige final dos Sub-21

Tagliavento dirige final dos Sub-21
Paolo Tagliavento – fotografado durante um jogo da UEFA Europa League – vai dirigir a final deste sábado ©Action Images

O árbitro italiano, de 38 anos, vai liderar uma equipa de arbitragem multinacional, que também inclui os árbitros-assistentes Damien MacGraith e Vytautas Simkus, da República da Irlanda e Lituânia, respectivamente, e o quarto-árbitro Robert Schörgenhofer, da Áustria.
Para Tagliavento, cabeleireiro de profissão e árbitro FIFA desde 2007, o jogo do Aarhus Stadion vai ser o seu quinto compromisso no Europeu Sub-21. Já antes tinha arbitrado o Dinamarca-Bielorrússia e o Inglaterra-República Checa, na fase de grupos, e tinha sido quarto-árbitro na meia-final de quarta-feira entre Espanha e Bielorrússia, cargo que também tinha desempenhado no Espanha-Inglaterra, da fase de grupos.
A final também representa o mais recente jogo de relevo na sua carreira como árbitro. Tagliavento foi escolhido como árbitro-assistente adicional  da final da UEFA Europa League de 2010, entre Club Atlético de Madrid e Fulham FC, antes de participar no seu primeiro jogo da UEFA Champions League, entre Arsenal FC e FK Partizan, em Dezembro passado.
A UEFA anunciou igualmente a equipa de arbitragem para o "play-off" de atribuição do terceiro lugar, entre República Checa e Bielorrússia. O sérvio Milorad Mažić vai ser o árbitro principal, coadjuvado por Mark Borsch, da Alemanha, e Marcin Borkowski, da Polónia, como árbitros-assistentes. Markus Strömbergsson, da Suécia, será o quarto-árbitro. O jogo do "play-off", em Aalborg, está agendado para as 14h00, seguindo-se a final, às 19h45 (horas de Portugal Continental).

FONTE: UEFA.COM

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Blatter triste pela morte de Pettay

Getty images
O presidente da FIFA, Joseph S. Blatter, enviou uma mensagem de pêsames ao presidente da Federação Russa de Futebol, Sergey Fursenko, expressando tristeza pela morte do respeitado árbitro da FIFA Vladimir Pettay. 
O juiz de 38 anos esteve entre as 44 vítimas de um acidente aéreo ocorrido na terça-feira em Petrozavodsk, no norte da Rússia. Ele voltava após apitar uma partida do Campeonato Russo entre Dínamo de Moscou e Rubin Kazan. Pettay começou a carreira de juiz em 1996, com apenas 25 anos, e foi um dos árbitros de maior sucesso do seu país.
"Em nome da FIFA e da família internacional do futebol, gostaria de dar os nossos pêsames a você, à comunidade do futebol russo e, acima de tudo, à família, amigos e entes queridos de Vladimir Pettay", escreveu Blatter na mensagem a Fursenko. "Faça-os saberem que hoje a comunidade do futebol está unida ao lado deles."
Pettay deixa esposa e dois filhos. Fursenko já prometeu o apoio da Federação Russa de Futebol nesse sentido. "Ajudaremos a família, sem dúvida nenhuma", assegurou o presidente. "Ele foi uma pessoa dedicada ao futebol e tem uma família maravilhosa."
Fonte: Fifa.com

Asp/Fifa do Paraná está escanteado

Claudio Mercante apitará Grêmio/RS x Avaí/SC
Ele se chama Bruno Boschilia, tem 28 anos, é árbitro assistente da Federação Paranaense de Futebol, foi guindado este ano ao quadro de Asp/Fifa da CBF, e estranhamente não está sendo escalado com frequência no Brasileirão/11. Digo isso, porque a  política adotada pela Fifa desde a última Copa do Mundo, na África do Sul, está totalmente direcionada à árbitros e assistentes jovens ou promissores como queiram, e o indigitado assistente preenche um dos requisitos exigidos pela entidade que controla o futebol no planeta que é a idade.

Se foi promovido ao cargo acima mencionado  pela CA/CBF, é natural que foi por indicação de Afonso Vitor de Oliveira, e, portanto é óbvio, que seja inserido  nos sorteios de forma reiterada, com o objetivo precípuo de ganhar experiência para  quando surgir a oportunidade num teste para ascender ao quadro internacional de arbitragem, estar devidamente qualificado. A não ser que o Paraná esteja predestinado a perder esta vaga para outra federação. Além do exposto, em 2012, a idade de 45 anos, imposta pela  Fifa, irá atingir o assistente Roberto Braatz,  um dos melhores na função.

Pergunto: qual é o critério utilizado pela CA/da Federação Paranaense de Futebol na indicação dos assistentes junto a CA/CBF?

Veja abaixo os jogos e a arbitragem da sexta  e sétima rodada da Série  A do Brasileirão.

Flamengo/RJ x Atlético/MG
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa/SP)

Atlético/PR x Bahia/BA
Árbitro: Antonio de Carvalho Schneider (CBF-1-RJ)

Cruzeiro/MG x Coritiba/PR
Árbitro: Fabricio Neves Correa (RS)

Corinthians/SP x São Paulo/SP

Árbitro: Rodrigo Braghetto (CBF-1-SP)

Avaí/SC x Fluminense/RJ
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (Asp/Fifa/SP)

Ceará/CE x Palmeiras/SP
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa/PR)

Botafogo/RJ x Grêmio/RS
Árbitro: Jailson Macedo Freitas (CBF-1-BA)

Internacional/RS x Figueirense/SC
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa/RJ)

Atlético/GO x Vasco/RJ
Árbitro: Antonio Hora Filho (CBF-1-SE)

Grêmio/RS x Avaí/SC
Árbitro: Claudio Mercante (Asp/Fifa/PE)

São Paulo/SP x Botafogo/RJ
Árbitro: Elmo Alves Resende (CBF-1-GO)

Figueirense/SC x Santos/SP
Árbitro: Márcio Chagas da Silva (Asp/Fifa/RS)

Palmeiras/SP x Atlético/GO
Árbitro: Nielson Nogueira Dias (Asp/Fifa/PE)

Bahia/BA x Corinthians/SP
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa/DF)

América/MG x Flamengo/RJ
Árbitro: Wagner Reway  (Asp/Fifa/MT)

Vasco/RJ x Cruzeiro/MG
Árbitro: Arilson Bispo da Anunciação (CBF-1-BA)

Coritiba/PR x Ceará/CE
Árbitro: Alicio Pena Júnior (Esp/MG)

Fluminense/RJ x Atlético/PR
Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (Asp/Fifa/AL)

Atlético/MG x Internacional/RS

Árbitro: Paulo Henrique Bezerra (CBF-1-SC)

Santos/SP x América/MG
Árbitro: Wiltom Pereira Sampaio (Asp/Fifa/DF)

Heber Roberto apitará Ceará/CE x Palmeiras/SP
Foto: Allan Costa Pinto
Marcelo de Lima Henrique apitará Internacional/RS x Figueirense/SC

terça-feira, 21 de junho de 2011

Após 5 rodadas, Brasileirão de 2011 chega à sua 10ª expulsão


Neste mesmo período no ano passado, número de cartões vermelhos já tinha 
chegado a mais de 20
JOSÉ GERALDO AZEVEDOJosé Geraldo Azevedo



Após as partidas disputadas neste último fim de semana, o Campeonato Brasileiro chegou a 49 jogos realizados, enquanto o clássico paulista entre Corinthians e Santos foi adiado. 
Ao longo destes duelos, dez cartões vermelhos foram distribuídos pelos árbitros.
O décimo deles saiu neste último domingo, quando o meia Botinelli, do Flamengo, 
foi expulso ainda no primeiro tempo do clássico com o Botafogo. Este também foi o 
único jogador expulso na quinta rodada.


A primeira rodada parecia demonstrar que os árbitros e jogadores, cada um em sua 

função, deixariam a bola rolar mais em campo. Nenhuma expulsão foi contabilizada
nos dez primeiros jogos do Brasileirão. Mas veio a segunda rodada e com ela 
três cartões vermelhos, mostrados para o atacante Washington, do Ceará, e os volantes 
Helder e Dudu, de Bahia e América/MG, respectivamente.
Na terceira rodada apenas um expulso. Na derrota para o Palmeiras, o Atlético/PR ficou

sem Rômulo durante o jogo fora de casa. Em seguida, a quarta rodada chegou a cinco
cartões vermelhos. Vinícius, do Santos, Marcos Rocha, do América/MG, Rafael Marques, 
do Grêmio, Neto Berola, do Atlético/MG, e Emerson, do Coritiba, deixaram o gramado antes 
do apito final.
Os números deste ano ainda estão bem à frente do que se viu nas cinco primeiras 

rodadas do Campeonato Brasileiro do no passado. Apenas na primeira rodada de 
2010 foram nove expulsões, chegando a mais de 20 ao fim das cinco primeiras rodadas. 
Em 2011, até aqui, pouco trabalho para os auditores do Superior Tribunal de Justiça
Desportiva (STJD).
Fonte: Justiça Desportiva

PS: Credito a diminuição das expulsões neste Brasileirão, a mudança de 

comportamento e conscientização dos atletas. Mas os avanços  nesta área são 
tênues se comparados aos níveis do futebol europeu, e ainda há um longo 
caminho a ser percorrido pelos atletas, técnicos e sobretudo dirigentes. 
Vale ressaltar  também neste declínio de cartões vermelhos, o  plano de 
modernização implementado na arbitragem nacional, a partir  da ascensão de 
Edson Resende de Oliveira, ao comando dos árbitros e  a sua  continuidade pelo atual 
presidente, Sérgio Corrêa da Silva, à frente da CA/CBF. Poderia citar vários árbitros 
que apresentaram evolução, crescimento e modernidade no seu estilo de apitar, 
originário do plano de modernização, que é ministrado na Granja Comary, em
Teresópolis (RJ). Mas 
por questão de espaço e tempo vou nominar três.  André Luiz Freitas 
de Castro (Asp/Fifa/GO), Wagner Reway, (foto-Asp/Fifa/MT) e Wilton Pereira
Sampaio (Asp/Fifa/DF).

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Raio-X da arbitragem


No Couto Pereira
Para realizar uma arbitragem de excelência, o árbitro deve aprender a
aceitar e compreender que tanto os espectadores quanto os atletas, os
técnicos, os dirigentes sempre vão reagir às suas tomadas de decisões de
acordo com a carga emocional que a situação envolve. Luiz Flávio de Oliveira
(foto), (Asp/Fifa/SP), o árbitro de Coritiba/PR 1 x 1 Internacional/RS,
cotejo realizado no limiar da noite do último domingo,no Couto Pereira,
personificou com extrema propriedade o elencado acima com equilíbrio, com
olhar sereno, objetivo e seguro. Aliás, me chamou a atenção no indigitado
árbitro, o seu posicionamento, sua discrição, seu ótimo preparo físico,
técnico, seus reflexos aguçados, o que lhe proporcionou decidir em cento e
oitenta e seis ações de acordo com a verdade dos fatos. Excelente atuação em
partida dificílima.

No Presidente Vargas
Criticado por este colunista em diferentes ocasiões por não se encaixar
dentro de um dos mandamentos primordiais da Fifa, que diz, que apitar bem é
sentir o jogo para possibilitar o seu desenvolvimento natural, somente
interferindo para cumprimento das regras e, especialmente, do seu espírito,
que é punir o infrator, o árbitro Edivaldo Elias da Silva, da Federação
Paranaense de Futebol, na partida Ceará/CE 0 x 2 São Paulo, mostrou que
cresceu, evoluiu, estudou, se aprimorou, se concentrou, qualificou seu
controle emocional e demonstrou pleno domínio das Regras do Jogo de Futebol.
Além disso, explicitou ótimo condicionamento físico, posicionou-se de forma
adequada em todo o transcorrer da nominada partida, mostrou firmeza nas
decisões, desta vez não titubeou, e pela primeira vez nos últimos anos o vi
apitar com profundo entusiasmo. Com o belo desempenho na partida realiza em
Fortaleza (CE), acredito que o mencionado árbitro abriu as portas para ter
novamente seu nome inserido em futuros sorteios.
PS: Em entrevista ao periódico matutino, A CRÔNICA, da Argentina, o
presidente da (AFA) Associação de Futebol Argentina, Julio Grondona,
declarou que a implementação da tecnologia para auxiliar a arbitragem a
equacionar lances polêmicos não é tão fácil assim como muitos imaginam.
Primeiro, teríamos uma série de interrupções a qualquer lance que suscitasse
dúvidas. Segundo, e mais importante de acordo com Grondona: todas as
decisões da Fifa são em âmbito universal, e portanto a tecnologia teria que
ser utilizada em todas as competições dos 202 filiados da entidade. E
terceiro, o alto custo econômico da eletrônica inviabiliza a sua aquisição,
já que há muitos campeonatos que são deficitários e há alguns que sequer
conseguem pagar as taxas de arbitragem.

quinta-feira, 16 de junho de 2011


CEL. MARINHO


O homem que mudou a arbitragem da FPF

Corria o ano de 2005, quando explodiu um gravíssimo problema envolvendo dois membros do quadro de árbitros da Federação Paulista de Futebol. Diante da gravidade do problema e a ingente repercussão do fato, e objetivando aplicar um choque de gestão num setor de relevância do futebol da terra da garoa, o presidente da entidade paulista, Marco Pólo Del Nero, não titubeou e convidou para assumir o comando do sibilino setor de arbitragens da FPF, o Ten. Cel. da Polícia Militar do Estado de São Paulo, Marcos Marinho. A escolha de Marinho, para presidir um grupo altamente heterogêneo como são os árbitros, teve como predicados a sua brilhante trajetória à frente de diferentes comandos na PM , que teve como marcas precípuas a disciplina, o equilíbrio, a modernidade e o empreendedorismo. Acompanhe abaixo o seu Curriculum e a entrevista concedida por e-mail ao Apito do Bicudo.

Nome: Marcos Cabral Marinho de Moura , Ten. Cel. Reserva da Polícia Militar do Estado de São Paulo, Filiação: Nelson Marinho de Moura e Yára Maria Cabral de Moura, Nascimento: 03/05/1958, Estado Civil: Casado, Esposa: Elizabela de Oliveira, Filhos: Maira, Luana, Raissa, Bruna e Caio. Cursos na Polícia Militar do Estado de São Paulo, Curso Preparatório de Formação de Oficiais; Curso de Formação de Oficiais; Curso de Informações; Curso de Controle de Distúrbios Civis; Curso de Especialização em Espetáculos Públicos; Curso de Gestão pela Qualidade Total; Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais; Curso Superior de Polícia.
Experiência Profissional

Cmt de Pelotão, responsável pelo policiamento preventivo e ostensivo motorizado – de 1979 a 1982; Oficial do Corpo de Segurança do Governador – Casa Militar – de 1982 a 1987; Assistente Militar do Secretário de Estado do Abastecimento – 1987 a 1988; De 1988 a 2005 – serviu no 2º Batalhão de Polícia de Choque, Unidade da Polícia Militar responsável pelo policiamento em espetáculos públicos na cidade de São Paulo. Foi comandante de pelotão, de Companhia, Subcomandante e Comandante da Unidade. No ano de 2002, participou do esquema de segurança na Copa do Mundo, no Japão.

Atividade Profissional Atual
Presidente da Comissão Estadual de Arbitragem e Diretor de Prevenção e Segurança da Federação Paulista de Futebol; Foi membro efetivo da Comissão Nacional de Prevenção da Violência para a Segurança dos Espetáculos Esportivos – Comissão Paz no Esporte.

1) O sr. é coronel da Policial Militar de São Paulo. Que motivos lhe levaram a presidir um setor de tamanha relevância como a Comissão de Arbitragem da FPF?
 R: Em outubro de 2005, logo em seguida ao escândalo de fraude na arbitragem envolvendo dois árbitros paulistas, fui convidado pelo doutor Marco Pólo Del Nero, presidente da FPF, para iniciar um novo processo de gestão na arbitragem, uma vez que era seu desejo ter uma pessoa totalmente sem vínculo com os clubes e com a própria arbitragem. Movido sempre em vencer novos desafios, aceitei de pronto o convite, até porque não tinha mais nenhuma perspectiva na carreira como PM e por já contar com 30 anos de serviço prestado à corporação.
2)Houve alguma reação contrária? 
R: Alguns questionamentos por parte da imprensa e, com certeza, incertezas, desconfianças e receios por parte dos árbitros.
3) Durante o período em que está à frente da arbitragem paulista, como tem sido o seu trabalho? 
R: O trabalho consiste no desenvolvimento de processos voltados ao aprimoramento contínuo de todos os que estão no quadro de arbitragem da FPF, respaldado, ainda, na transparência, na fiscalização e no apoio aos profissionais comprometidos com os princípios que norteiam a instituição arbitragem (idoneidade e imparcialidade).
4) Quais foram os métodos empregados e quantos novos árbitros foram revelados na sua gestão?
R: Em primeiro lugar, institui o Regulamento Geral da Arbitragem com direitos e deveres para todos (dirigentes da arbitragem e árbitros); criação de um plano de carreira (ranqueamento); treinamentos práticos para o aprimoramento; divulgação e orientação, em sala de aula, das instruções e recomendações encaminhadas pela Comissão de Arbitragem da Fifa; análise com o árbitro a respeito de suas atuações, em consequência das análises dos assessores da arbitragem ou de representações dos clubes; criação das fichas individuais de avaliação de desempenho; aplicação de dois testes físicos (protocolo Fifa) e de dois testes escritos por ano; monitoramento da condição física (COFES); contratação de um psicólogo do esporte; aquisição de equipamentos de comunicação (11 kits – com seis rádios); pagamento antecipado das taxas de arbitragem. E, a partir de julho, a definição da categoria especial da arbitragem com 20 árbitros e 40 assistentes, os quais passarão por um programa especial de treinamento (físico, psicológico, técnico, tático e nutricional), possibilitando, assim, a formação de um grupo de elite na arbitragem de São Paulo. Com referência às revelações, lançamos, nos últimos quatro anos, na principal competição em torno de 20 novos árbitros e 15 assistentes.
5) Quem é o melhor árbitro da FPF na atualidade e do futebol brasileiro, na sua opinião? 
R: Na FPF, o primeiro do ranking é o árbitro Wilson Luiz Seneme. No futebol brasileiro, o que tem mantido boa regularidade é o árbitro Heber Roberto Lopes, do Paraná
 
6) Que avaliação faz sobre o modelo de arbitragem desenvolvido nas competições da Conmebol e do modus operandi dos apitos brasileiros? 
R: Entendo que devemos aplicar com correção e inteligência as regras do jogo. O que determina o “estilo” da arbitragem é a característica do futebol praticado em cada país ou continente. Precisamos, sim, é promover um debate com relação à formação dos nossos atletas, os quais são estimulados, desde o seu início nas categorias de base, a desrespeitar as regras do jogo, ou seja, o de buscar levar vantagem com a “malandragem” (simulação de faltas, pressões e desrespeito com a arbitragem, desrespeito ao adversário, etc.).
7) Como dirigente de um colegiado da importância como São Paulo, qual é o seu entendimento sobre a implementação da tecnologia para auxiliar a arbitragem? Ela deve ser parcial ou total? 
R: A adoção da tecnologia importa em que dentro de uma competição todos teriam que ter o mesmo recurso à sua disposição. Explico: se num campo de jogo tivermos 20 câmeras, nos outros campos também deverão ter o mesmo número de câmeras. Quem pagaria tal investimento? Porém, alguns recursos são possíveis de implantar, como a comunicação aberta entre os membros da equipe de arbitragem e a escalação dos assistentes adicionais. A ampliação dos ângulos de abordagem nos lances e a integração imediata das informações com árbitro, são meios fundamentais para uma tomada de decisão com menor risco de erro.
8) O experimento dos assistentes adicionais tem causado restrições a alguns setores retrógrados do futebol brasileiro. Que avaliação faz desse experimento realizado no Campeonato Paulista? 
R: Altamente positivo o experimento. Tal afirmação foi expressada pelos próprios árbitros que se sentiram mais confiantes nas atuações em razão da presença de seus auxiliares no auxílio de suas decisões. 
9) A Fifa autorizou o nominado experimento do Europeu Sub-19, posteriormente na Liga da Uefa e mais recentemente na Champions League, e em 2012 na Eurocopa. Ele pode ser colocado em prática na Copa de 2014? 
R: O parecer desta Comissão ao Coordenador do Experimento designado pela da Fifa é pela implantação do sistema nas principais competições organizadas pelas Federações e Confederações. Sou favorável a sua implantação na Copa de 2014. 

10) Como está a preparação de Paulo César de Oliveira um dos árbitros pré-selecionados para a aludida Copa?
R: Ele está sendo convocado pela Conmebol para realizar o Curso para árbitros de alto nível, de 25 a 29 de junho. Boas perspectivas na sua carreira e vamos continuar com seus treinamentos na Federação.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Arbitragem admite crise emocional e vai ao divã

capa_02_15062011
Esportes, investiga o comportamento emocional da arbitragem dentro das quatro linhas.

Qual o sistema emocional que aguenta passar sem abalos por um pacote de pressão que inclui bate-bocas com jogadores, ofensas pesadas de torcidas e a necessidade de tomar cerca de 200 decisões rápidas, tudo isso em um espaço de duas horas? A função de árbitro está cada vez mais sujeita ao desgaste emocional e pede ajuda da psicologia. CBF e Federação Paulista já foram confrontadas a esta necessidade e contam hoje com profissionais da área para conter o stress que tirou de atividade um dos nomes da elite na última década e que já é comparado ao esgotamento de um alto executivo.

Recentemente o debate se expandiu graças ao estudo do árbitro e psicólogo Mauro Viana pregando a necessidade de suporte desta natureza para a classe. Na briga para caminhar rumo à profissionalização da atividade, ou por uma condição que se aproxime disso, a Anaf (Associação Nacional dos Árbitros de Futebol) reconhece a carência de auxílio psicológico na preparação de juízes de futebol.


"A nossa função sofre mais pressões que um ser humano normal. Se um ser humano normal já precisa de um psicólogo, imagina o arbitro”, Marco Antonio Martins, presidente da entidade.  “Existe essa necessidade, a gente cobra da CBF, mas já acontece de alguma forma, ela tem uma psicóloga que dá atendimento aos árbitros. O problema é que estamos em um país continental com uma psicóloga só. Tem que ser por e-mail, por Skype. O ideal seria "tête-à-tête", mas já é um avanço", emenda.


São Paulo também conta com um profissional que trabalha durante o ano todo para acompanhar os árbitros do Estado. "São Paulo dá todo esse suporte. Esse profissional acompanha os treinamentos físicos, técnicos, está no campo de jogo. Por isso que temos gente apitando finais regionais em todo o Brasil, como o Sálvio (Spinola), o (Cleber) Abade, o PC (de Oliveira) e o (Wilson) Seneme", diz Arthur Alves Junior, presidente da Safesp, Sindicado dos Árbitros de Futebol do Estado de São Paulo.


PSICÓLOGA DA CBF ATENDE ATRAVÉS DO SKYPE

Desde 2007 a CBF conta com os serviços da psicóloga Marta Magalhães Sousa no suporte emocional da arbitragem do país. A profissional costuma acompanhar os testes físicos dos juízes e está a postos para resolver outras demandas assim que elas surgirem. Os acompanhamentos são feitos in loco, por telefone e até por Skype, software que permite comunicação pela internet através de conexões de vídeo e voz. Em pauta temas como pressão por resultados e stress pela necessidade de manter outro tipo de trabalho para o sustento familiar.


A Federação Paulista também conta com um profissional que serve os árbitros do Estado com auxílio psicológico. É Gustavo Korte, que descarta o consultório e prefere o trabalho dentro de campo. "Trabalhamos onde as emoções estão, dentro de campo, nos jogos. Trabalhamos concentração, comunicação verbal, não verbal, foco, visão periférica, em pratica orientada em equipe", diz. O psicólogo compara o nível de stress dos juízes de futebol com homens de negócio de sucesso. "A pressão é muito grande. O alto executivo tem de lidar com pressão de administrar tempo, da mesma forma atletas de alto rendimento e árbitros neste nível. Lembra a pressão de liderança do mundo corporativo", diz.


Eleito quatro vezes o melhor do Brasileirão, Leonardo Gaciba abandonou o apito em 2010 antes da idade limite para a aposentadoria, aos 39 anos. O árbitro gaúcho falhou em testes físicos para se manter no quadro da Fifa e posteriormente não conseguiu passar em exames semelhantes da CBF, tudo graças a um bloqueio emocional publicamente assumido. "Participei desse processo junto com a Dra. Marta (CBF), ele tinha um bloqueio, não conseguia executar os testes", disse Marco Antonio Martins, da Anaf. Na época, Gaciba falhou em uma bateria de 20 km, em quatro etapas, e disse: "Está difícil vencer esse bloqueio psicológico".


A presença recente de mulheres em trios de arbitragens suscitou uma série de críticas, como a do ex-corintiano Carlos Tevez e a do ex-dirigente do Botafogo Carlos Augusto Montenegro. Outras cornetadas resvalaram no preconceito. Mas segundo a mais célebre representante feminina da arbitragem nacional, a assistente Ana Paula Oliveira, esse não é o maior problema. "A própria família pressiona muito. A sobrinha quer saber o motivo de você estar ausente da escala, o irmão questiona as críticas do comentarista, 'por que ele disse isso?', etc", diz. Outra pressão adicional sobre as mulheres é a obrigatoriedade de elas passarem por padrões de testes físicos com as mesmas exigências para os homens, em decisão que vigora desde 2007.

Fonte: UOL Esportes/Safergs

 

É agora ou nunca